Pug - Saiba muito mais neste Guia sobre Raças de Cães | CachorroGato

Guia de Raças

Pug

Quero esta raça

Ficha do Pug

Pug

O Carlino, ou Pug, também conhecido por Doguilho ou Mops, é uma das raças de cães mais antigas e apreciadas. O termo “Carlino” se deve a Carlo Bertinazzi (Carlín), um famoso ator italiano do século XVIII, provavelmente pelo aspecto físico de um de seus personagens, que se assemelhava muito à face deste querido cachorro. No entanto, a origem do termo Pug é mais incerta, e entre as teorias mais confiáveis está a de que o nome Pug provém do latim ‘pugnos’, que significa “punho” e originou o nome da raça devido ao fato de o focinho do cão remeter à imagem de um punho humano. Outra teoria é a de que Pug era a forma coloquial que se utilizava na Inglaterra do século XVIII para se referir a todos os cães.

Origem

Originário da China, já no século II A.C. existiam documentos que se referiam ao Pug como membro da realeza; tendo garantido o seu próprio espaço no palácio e seus próprios servos – que lhe forneciam todo tipo de cuidado e atenção. Também existem documentos do século V D.C., associando estes cães aos antigos imperadores.

Nos primeiros documentos encontrados que se referiam a raça, ela era citada como o “cão Pai”, sendo descrita como um cachorro compacto e de pernas e focinho curtos. No ano de 950 D.C., o imperador Kang Hsi foi responsável pelo desenvolvimento de uma espécie de dicionário dos maiores símbolos da cultura chinesa, onde os cães da raça se encaixavam com duas referências distintas: “cães com pés curtos” e “cão de cabeça curta”.

No que se refere à raça, acredita-se que o Pug descende do cruzamento entre Pequineses e pequenos Mastins. Entretanto, também é viável a possibilidade de que a raça tenha surgido da mistura entre o Pequinês e o Spaniel Japones – sendo que nesta época, na China, a grande maioria dos cruzamentos entre cães tinham as raças mais populares do país como ponto de partida: Lo-Sze, Lion Dog e Pequinês.

Em relação à chegada do Pug ao continente europeu, especula-se que a raça tenha sido levada por meio da Companhia Holandesa das Índias, no século XVI - e é sabido que, desde então, ele não para de ganhar adeptos. A raça Pug foi reconhecida oficialmente pelo Kennel Club inglês em 1883. 

Comportamento

O Pug é um cachorro bonachão e carinhoso, especialmente com as crianças. Possui um temperamento equilibrado, é muito valente e seu tamanho pequeno não o impede de se defender ou enfrentar cães maiores. Extremamente fiel e apegado aos seus donos, o cão da raça não mede esforços para defendê-los ou alertá-los em relação à qualquer tipo de perigo – tornando-se uma companhia constante ao lado de seu proprietário em pouco tempo de contato.

Bastante sociável, este cachorro não oferece resistência para conhecer e interagir com novas pessoas; possuindo uma grande capacidade para se adaptar à ambientes dos mais variados e seres humanos de diferentes idades e personalidades. Considerada uma das raças de cães mais dóceis conhecidas nos dias de hoje, o Pug é um ótimo cão de companhia – especialmente para crianças e idosos, om quem adora interagir e brincar.

Além de se dar bem com pessoas de todas as idades e características, a raça também pode ser colocada acima da média no que se refere à socialização com outros animais – podendo ser a escolha ideal para quem deseja criar mais de um bichinho de estimação dentro de casa.  

Com latidos de som que pode ser comparados à roncos, a raça emite estes barulhos específicos alternados com grunhidos, que podem dar a impressão de que o animal está engasgado. Nas ocasiões em que o latido é encarado pelo animal como uma forma de comunicação, eles se tornam mais longos e agudos, perdendo parte das características que podem levar seu dono a imaginar que há algo errado com o cão.

Inteligente, o Pug ocupa a posição de número 53 no ranking dos cães mais inteligentes, e pode ser adestrada com certa facilidade – assimilando, entendendo e obedecendo de maneira relativamente rápida uma série de novos comandos e instruções.

Gosta de exercícios, mas o que mais aprecia é a temperatura agradável dos ambientes internos da casa. Embora não necessite de muita atividade física para se manter com saúde, o Pug é uma raça que conta com uma grande tendência para a obesidade e; portanto, sua alimentação deve ser bem controlada e formada por uma dieta balanceada e sem exageros – caso contrário podem surgir problemas na sua saúde.

Aspecto

É um cachorro pequeno e forte, de aparência quadrada e musculosa. A cabeça é grande, redonda e enrugada. A cauda, enrolada, é muito apreciada nas exibições. As cores devem ser muito bem definidas, assim como as partes pretas, que são o rosto, as orelhas e a linha a partir da cabeça até a cauda.

Descrito por muitos como uma raça que “de tão feinha fica linda”, o cão Pug é bastante característico e facilmente reconhecido entre qualquer aglomerado de cachorros – já que suas particularidades são bem marcadas e o seu rosto de focinho preto e achatado é bastante conhecido nos dias de hoje.

A notoriedade da raça, que já é grande há certo tempo, se tornou maior ainda após a exibição dos longas MIB – Homens de Preto, protagonizados pelos atores Will Smith e Tommy Lee Jones. Na trilogia (que teve seu primeiro longa lançado no ano de 1997), um cachorro da raça Pug representa o personagem engraçado e caricato batizado de Frank – um extraterrestre que faz parte dos time dos Homens de Preto e está “preso” no corpo de um cãozinho.

Cuidados específicos

O Carlino não exige cuidados rigorosos e, no geral, são cachorros que gostam, bastante de comer, precisando que o dono controle a sua alimentação de maneira constante para evitar o excesso de peso – já que a raça já conta om uma tendência maior que outras para a obesidade canina.

Cuidados na hora do banho também são importantes, pois, as rugas que a raça possui na cabeça podem ser um ponto extremamente adequado para que haja o acúmulo de sujeira e, consequentemente, o aparecimento de problemas como o da dermatite de pele canina.  Embora suas orelhas não sejam tão longas e nem haja uma quantidade exagerada de pelos na região, a otite canina também é uma complicação relativamente comum na vida dos cães da raça Pug, e os donos devem ficar de olho para o surgimento de qualquer sintoma relacionado ao problema.

Saúde

Os cachorros da raça Pug, na maioria dos casos, gozarão de boa saúde desde que seus donos saibam que ele não tolera excessos de calor e nem de exercícios físicos. Devido ao fato de ser uma raça braquicefálica (caracterizada pelo focinho curto e achatado), pode apresentar alguns problemas respiratórios quando pratica atividades intensas – sendo que a região dos olhos deste cão também merece cuidados para que a aparição de problemas oculares possa ser evitada; já que que seus olhinhos bem saltados ficam especialmente expostos, podendo gerar batidas e pequenas feridas.


História do Pug

Atualmente é aceito que os cães da raça Pug tem sua origem na China, passando para o Japão e, em seguida, para a Europa. Na China, há muito tempo, existe uma raça canina chamada Happa (às vezes também pode-se encontrar como Ha-pa), que é bastante similar a um Pequinês com pelo liso. 

Ainda na China, estes cães eram frequentemente tratados como membros da realeza e, em alguns casos, até ganhavam títulos nobres. Eram sempre vigiados e muitos dispunham de seus próprios servos. Geralmente, eles eram possuídos pelo círculo da corte ou pelos membros de classes governantes, sendo frequentemente tratados como objetos preciosos.

Pug desfrutou de uma grande popularidade na China até o século XII, quando o interesse passou a decair, existindo poucas menções da raça até princípios do século XVI.  A Companhia Holandesa das Índias Orientais possuiu um papel importante no comércio com o Oriente e está claro que, em muitas destas viagens, foram trazidos tanto Pugs quanto Pequineses à Europa.

Diz-se que um exemplar da raça, inclusive, salvou a vida de Guilherme I de Nassau, quando este rei foi atacado de surpresa por tropas espanholas. O seu Pug escutou o rumor das tropas e fez bastante barulho, pulando no monarca para despertá-lo e alertar sobre o ataque. A partir de então, Guilherme I sempre criou cães da raça e, como consequência, os Pugs se tornaram a raça favorita da corte holandesa.

Sendo chamada de Mastiff Holandês por algum tempo, a raça Pug teve sua padronização definida em meados do século XIX, quando passaram a ser considerados os cães que tivessem variações de cor entre preto, dourado e creme. Começando a participar de exposições especiais de cachorros ainda durante o mesmo século, os Pugs foram exibidos em 1861 pela primeira vez, ganhando cada vez mais notoriedade em todo o mundo a partir desse tipo de evento.

Além do dicionário de símbolos chineses (elaborado pelo imperador Kang Hsi), a raça também é citada com grande destaque no livro “Cães da China e Japão”, desenvolvido pelo empregado do palácio imperial Wang Hou Chun que, na época, ainda usava o termo Lo-Sze para se referir aos cachorros Pug; e apontava as principais diferenças da raça em comparação ao seu antecessor, o Pequinês.

Conforme citado, o Pug era considerada uma raça preciosa e, por ter sua cabeça cheia de peles que formam diversas rugas; era costumeiro que os chineses analisassem o formato das rugas dos cães para buscar mensagens que fossem similares às letras do alfabeto chinês. Entre os diferentes símbolos que eram mais encontrados nessa época, um era considerado mais importante e procurado – formando três dobras distintas na cabeça do animal que, juntas, indicavam palavra que significa “príncipe” na tradução.

Na época da chegada à Europa, os Pugs eram muito semelhantes ao que conhecemos hoje em dia, e lá se deram mais alguns cruzamentos extraordinários, como com Bulldogues, entre outras raças, muito embora na China o objetivo fosse, claramente, criar cães tão fiéis aos seus biótipos quanto fosse possível, e são estes cães que formaram uma base sólida para o Pug atual. Um dos netos do monarca, Guilherme de Orange, foi o responsável pela chegada da raça à Inglaterra, em 1688.

Durante a década de 1840, os cães da raça foram desenvolvidos com base em duas linhagens distintas: Willoughby e Morrison. Enquanto a linhagem Willoughby destaca cães com fios pretos mesclados à sua pelagem clara e similar à cor creme – a linhagem Morrison apresentou exemplares da raça com pelos bem mais claros, que aparecem mesclados à fios de cor castanha ao invés dos pelos pretos característicos dos Pugs Willoughby.

No ano de 1868, dois exemplares completamente puros da raça – retirados do palácio do imperador de Pequim - chegaram à Grã-Bretanha, batizados de Lamb e Moss; sendo considerados, até hoje, como responsáveis pela criação do Pug “moderno”, já que o fruto do acasalamento entre eles foi uma das principais bases para o desenvolvimento das características altamente reconhecíveis e queridas nos cães da raça. Em 1877, considerou-se a cor preta como uma nova cor para a raça, mesmo que registros históricos ainda apontem Pugs pretos em datas anteriores a esta.


Características do Pug

Descrito por alguns apaixonados pelos Carlinos como a mescla perfeita de atrativo canino e melancolia, o Pug manterá seus proprietários entretidos durante horas sem fim com sua personalidade, bastante parecida com a de um palhaço. Se trata de um cão com uma personalidade grandiosa, que se adapta bem e pode ficar confortável tanto vivendo em uma casa grande quanto em uma pequena. Alguns proprietários de Pugs chamam-nos de “pequenas pessoas”, e quando se conhece um exemplar desta raça é fácil compreender o motivo para isso.

O latido do Pug é surpreendente no que se refere ao tamanho do cão. De fato, são cães de guarda muito bons, alertando a todos de qualquer porta se abrindo ou quando alguém anda por perto da casa. Se você possui sono leve, é importante que saiba que, nem todos, mas muitos exemplares da raça costumam roncar alto e por bastante tempo. 

Quando seus latidos são para avisar sobre possíveis perigos, têm um som bem característico e que pode ser comparado ao ronco de uma pessoa (fazendo com que seus proprietários, em muitos casos, fiquem preocupados – já que dão a impressão de que o animal está engasgado com algum objeto), enquanto nos casos em que o cão late para se comunicar, o som emitido é mais agudo e comprido.

O Pug é um cachorro de porte pequeno excepcionalmente limpo, que possui odor canino leve. Alguns afirmam que esta é a raça ideal para pessoas que não tem condições de se locomover muito – como idosos ou portadores de necessidades especiais -, todavia é preciso que se exercitem um pouco, como todos os cães; especialmente quando se leva em conta o fato de que a raça conta com uma grande tendência à obesidade.

Extremamente afetuoso com seus donos e família, o Pug também é indicado para o convívio com crianças – já que seu temperamento não é agressivo e este cão se sente bastante atraído pelas brincadeiras dos pequenos; com quem pode passar muito tempo sem apresentar qualquer tipo de problema ou ocorrência.

Conforme citado anteriormente, uma das particularidades mais interessantes dos cães desta raça é o fato de serem totalmente confiantes e destemidos, apesar do porte pequeno – sendo capazes de enfrentar cães muito maiores e mais ferozes para defender e proteger à quem ama.

Tendo tudo isso em xeque, o Pug parece ser feliz sem que seus proprietários se esforcem tanto para isso.Ele pode se sentir satisfeito enroscando-se em si mesmo no pé do sofá enquanto seu proprietário assiste à televisão ou faz tricô, do mesmo jeito que apreciará brincadeiras e jogos animados com uma bolinha. 

Ainda que sua origem seja chinesa, a raça Pug possui personalidade bastante diferente em relação às outras raças originadas do ocidente, uma vez que não demonstra nenhum sinal de superioridade. Os Pugs são uma raça única em diversos aspectos e possuem numerosos adeptos devido, em parte, ao seu senso de humor e seu jeito de ser irresistível e atraente.

Problemas de saúde não são uma questão de foco nos cães da raça que, no geral, vivem bem e sem muitas complicações. No entanto, a região dos olhos (bastante esbugalhados), da cabeça (cheia de pele e enrugada) e das orelhas merecem atenção especial, já que ferimentos, dermatites e problemas infecciosos podem se desenvolver em função das particularidades destas áreas do corpo do animal.

Além disso, a alimentação é outro item que deve ser bem observado quando se tem um Pug dentro de casa, já que a combinação do sedentarismo e do amor pela comida (característicos da raça) podem acabar trazendo problemas de obesidade e aumentar, ainda mais, a ocorrência de problemas de cunho respiratório – que já existe em função da braquicefalia (focinho curto e achatado) da espécie.

Donos de uma expectativa de vida que gira em torno dos 15 anos, os Pugs pesam entre 6 e 12 quilos, medindo por volta de 27 centímetros de altura e 53 centímetros de comprimento.

Raça verificada por:

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Raças Relacionadas