Pastor de Shetland (Sheltie ou mini-Collies) - Conheça | CachorroGato

Guia de Raças

Pastor de Shetland

Sheltie, mini-Collies

Quero esta raça

Ficha do Pastor de Shetland

Pastor de Shetland

Os Pastores de Shetland, carinhosamente apelidados de “Shelties” pelos seus admiradores, são cães alegres e vivos, considerados extremamente inteligentes e obedientes. Ele está entre as dez raças mais inteligentes e tem um desejo enorme de agradar seu dono e sua família, sendo facilmente adestrado. São grandes pastores e é uma das raças que mais se destacam em provas de Pastoreio agility. Uns dizem se tratar de uma miniatura perfeita do Collie de pelo longo, razão pela qual frequentemente são chamados de mini-Collies. Mas uma comparação mais detalhada entre ambas as raças revela algumas diferenças, seja na aparência, seja no temperamento.

Origem

Os ancestrais do Pastor de Shetland foram os pastores da Escócia, que também estão nas raízes do Collie e do Border Collie. Alguns desses cães eram bem pequenos, medindo cerca de 45 cm de altura. É quase certo que o Pastor de Shetland deriva desses primeiros cães do tipo Collie, que foram depois produzidos nas Ilhas Shetland. A escassez de vegetação favorecia um gado menor e os cães necessários para pastoreá-los eram proporcionalmente menores. Em uma terra com poucas cercas, um pastor adaptado era essencial para manter o rebanho longe das terras cultivadas. Como todos os cães de fazenda, eles pastoreavam não apenas ovelhas, mas também pôneis e galinhas. Em algumas áreas distantes, era costume manter os animais em casa durante o inverno, e o amável cão pastor conquistou seu lugar como parte da família. Por causa desse isolamento do resto do mundo, a raça se definiu em um tempo relativamente curto.

Comportamento

É um companheiro excelente, com um temperamento gentil, sensível, leal e delicado. O Pastor de Shetland é uma das raças mais espertas, sempre disposta a agradar e obedecer. O contato com as pessoas da família é muito mais importante para um Sheltie do que qualquer outra coisa, inclusive a necessidade de exercícios. Por isso, é um excelente companheiro tanto para pessoas de idade, que precisam de um companheiro mais calmo, quanto para crianças, que exigem do animal um maior esforço para acompanhá-las em suas brincadeiras.

Tem a tendência de ser desconfiado com estranhos, porém não costuma ser excessivamente tímido e não é violento. É muito vigoroso, inteligente e, consequentemente, fácil de ser treinado, motivo pelo qual se destaca muito em competições de agility.

Tem o costume de latir ao sinal de qualquer perigo ou aproximação de estranhos em seu território, o que o torna também um bom cão de alarme.

Aspecto

É um cão pequeno, contudo forte e ágil, com uma longa cabeça em formato de cunha. Seu pelo é longo e espesso, com sub-pelo macio. As pernas e o rabo comprido são eriçados; já a pelagem da face e das patas é macia. Os olhos são amendoados e em geral escuros, exceto dos animais de pelagem Azul Merle, que podem ter olhos azuis. A expressão deve ser alerta, gentil, questionadora e inteligente. O nariz preto, a mordedura em forma de tesoura e as orelhas pequenas, flexíveis e expressivas, com as pontas dobradas para frente.

É possível dizer que seu tamanho é ideal, visto que não é tão pequeno a ponto de não conseguir acompanhar seu dono em caminhadas. Ao mesmo tempo, pode perfeitamente ser carregado no colo em casos de emergência ou necessidade.

Cuidados específicos

O Shetie é enérgico, mas fica feliz com uma longa caminhada, uma corrida curta ou umas sessões de treino. Ele é muito ligado à sua família e deve ser um cachorro da casa. Seu pelo cheio precisa ser escovado a cada dois dias.

Saúde

Além das doenças comuns a todos os cães, cada raça tem uma predisposição a adquirir algumas doenças específicas. No caso do Pastor de Shetland, podemos destacar: Hipotireoidismo, Displasia Coxo-Femural, Atrofia Progressiva da Retina e Doença de Von Willebrand.


História do Pastor de Shetland

A história desta raça tão fascinante é rodeada de controvérsias e suposições. Existem muitas versões de como o Sheltie evoluiu até os dias de hoje, mas pouco se sabe realmente sobre sua história até o final do século XIX, por falta de documentações.

As Ilhas de Shetland, de onde a raça Pastor de Shetland é proveniente, estão situadas no Reino Unido, entre a Escócia e a Noruega. Seu clima rigoroso e as incessantes tempestades que varrem o norte do Oceano Atlântico comprometiam muito a vegetação e, consequentemente, as condições de sobrevivência dos animais da região. Por esse motivo, os nativos tiveram que optar pela criação de animais de tamanho reduzido.

Os pôneis e pequenos bovinos e ovelhas, tão necessários para a subsistência dos habitantes das ilhas, se adaptaram perfeitamente ao ambiente, pastando livremente, enquanto as poucas plantações cultivadas eram protegidas por muros nas pequenas fazendas. Entretanto, esses dois meios de sobrevivência frequentemente entravam em conflito quando os ágeis animais pulavam esses muros de pedra e arruinavam as lavouras.

Em meados do século XIX, os habitantes das ilhas começaram a criar cães pequenos e ágeis, conhecidos como "Toonies", palavra que deriva do norueguês "toon", que identifica as pequenas fazendas existentes nas Ilhas de Shetland. Esses cães eram criados com o intuito de manter os pôneis e ovelhas longe de suas terras cultivadas. Pouco se sabe sobre os ancestrais desses cães. Entre as prováveis raças envolvidas nos cruzamentos mencionadas pelos historiadores estão pastores maiores já existentes nas Ilhas de Shetland, como: Collie, Border Collie e o Yakki Islandês (raça não mais reconhecida).

Atividades turísticas foram muito importantes para a economia das ilhas durante o século XIX, e uma das coisas que os habitantes das ilhas podiam vender aos turistas eram seus pequenos cães. Isso provocou uma grande debandada dos cães da região, fazendo com que, por volta de 1890, a raça original começasse a desaparecer. Para evitar que maiores problemas ocorressem, cruzamentos com pequenos Collies foram realizados, o que aumentou um pouco o tamanho dos cães, que passaram a ser chamados de Shetland Collies.

Em 1909 o Shetland Collie foi oficialmente reconhecido pelo "The Kennel Club" da Inglaterra e manteve este nome até 1914, quando passou a ser chamado de Shetland Sheepdog.


Características do Pastor de Shetland

O Pastor de Shetland, carinhosamente apelidado de Sheltie pelos seus admiradores, encanta pela sua beleza, o amor aos donos e o prazer em agradá-los. Ideal para quem se impressiona com a beleza do Collie, mas não tem o espaço suficiente para criá-lo, já que se adapta facilmente a espaços pequenos, desde que exercitados diariamente.

Além da diferença de tamanho com o Collie, outras diferenças são que ele é mais ativo, procura mais carinho do dono e é mais brincalhão. Sempre pronto para agradar, respondem muito bem a comandos, mas devem ser treinados consistentemente. Não vale a pena dar broncas muito duras no Sheltie, pois são muito sensíveis e se chateiam facilmente.

Se você leva uma vida sedentária, o Sheltie pode não ser a companhia perfeita. Ele vai adorar passar horas deitado ao seu lado, enquanto você trabalha ou lê um livro, mas quando ele se cansar de descansar tanto vai exigir exercícios e brincadeiras que talvez você não esteja preparado para oferecer. A sua calma e doçura vai se transformar em energia só comparada a dos adolescentes em férias.

Raça verificada por:

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Raças Relacionadas