Chow-chow Pelo Curto (Songshi Quan) - Raças de Cães | CachorroGato

Guia de Raças

Chow-chow Pelo Curto

Songshi Quan

Quero esta raça

Ficha do Chow-chow Pelo Curto

Chow-chow Pelo Curto

Teimoso e independente, o Chow-chow parece um leão ou até mesmo um urso de pelúcia peludo e macio. É uma das raças mais antigas do mundo, com mais de 2.000 anos de idade. Criado para desempenhar diversas tarefas, e capaz de sobreviver em ambientes hostis, este cão de aparência única já foi utilizado para caçar, guardar, pastorear, e puxar trenós.

Origem

O Chow Chow é conhecido na China há cerca de 2000 anos, porém a raça é originária da Mongólia e não da China, como muitos pensam. Mas não foi até 1800 que se tornou popular no exterior. Na China é usado como um cão de guarda, pastor, animal de estimação, jogo e infelizmente também como uma iguaria culinária (prática que foi proibida em 1915).

Comportamento

Os Chow-chows são cães de um dono só, ou seja, manifestam sua alegria somente ao seu dono/família de maneira discreta, por isso, possuem comportamento muito parecido ao de um gato e por serem muito limpos, podem ser criados em apartamento, além disso quase não latem.

O Chow-chow é um cachorro muito inteligente, porém não é fácil de ser treinado. A sua aparência orgulhosa e imponente reflete num comportamento independente e pouco preocupado em agradar aos donos, muito menos a estranhos. Justamente por esta característica, a de agradar primeiro a si mesmo, os métodos comuns de treinamento (com excesso de punição ou excesso de carinhos) não surte efeito, sendo muito difícil manter estes cães motivados.

Aspecto

Acredita-se que o Chow-chow de Pelo Curto seja a forma mais primitiva da raça. Entretanto não há provas concretas sobre isto. Eram muito comuns no norte da China, e por incrível que pareça, possuem uma boa adaptação aos climas frios tanto quanto aos climas mais quentes.

Seu corpo é bem balanceado, compacto, com movimentos ágeis e saltitantes. Existem dois tipos diferentes de pelagem, ambos com pelo e subpelo, alguns Chow-chows possuem o pelo mais duro, liso, curto, espesso e áspero. Outros possuem o pelo denso, cheio e macio; no rabo pelo é bem cheio e em forma de franjas, nos pescoço o pelo é ainda mais denso, formando uma espécie de juba.

As cores aceitas são o vermelho, preto, azul, canela, creme ou branco, sem sempre sólidos. Marcas de outras cores não são aceitáveis, mas é permitido marcas da mesma cor porém de outra tonalidade.

Cuidados específicos

É importante educar o Chow-chow, logo que possível, com cuidado, paciência e compreensão, mas sempre com firmeza.
É necessário pentear seus pelos todos os dias com um pente de metal e administrar banhos a cada 30 dias.

Ele pode viver dentro da casa e dormir no chão, tanto da cozinha ou em uma área que ele ache aconchegante. O Chow-chow precisa se exercitar regularmente.
Por causa de sua pele grossa e sensível não é um cão adequado para viver em climas quentes.

Saúde

A genética do Chow chow mostra que um dos maiores problemas de saúde do cachorro é uma irritação no olho chamada de entropia. Tal condição é causada por uma anormalidade nas pálpebras. Por esse motivo, o dono precisa limpar com frequência a região. A catarata é outra doença comum nos cães da raça, assim como a displasia da bacia e a luxação nos joelhos.


História do Chow-chow Pelo Curto

O Chow-chow é uma das mais antigas raças sendo criada pelo homem sem sofrer grandes mutações. Há referências em estátuas de 4.000 anos e em registros escritos desde 1.100 A.C. Sua origem é a Mongólia e não a China, como muitas pessoas pensam, pois eram criados por tribos bárbaras mongóis, e usados, a princípio, para guarda, caça e batalha.

Com a invasão da China, os mongóis levaram este encantador cão para o território chinês. Eram chamados de "cães de guerra" e descritos como: "Aparência leonina, robustos e poderosos". Conta a lenda que "a escuridão da boca é a proteção contra espíritos do mal”. Quando Genghis Khan e seu exército conquistou o seu império, os cães que o acompanhavam eram, provavelmente, Chow-chows.

Com o passar dos anos suas funções foram ampliadas: serviam para pastoreio, como farejadores, busca, tração, como puxadores de trenós, fornecedores de pele e comida, além das funções iniciais.

Entretanto, enquanto uns serviam como comida, outros possuíam até servos, pois eram os cães de companhia dos nobres chineses. Como caçadores, os Chows-chows tem um olfato notável, táticas inteligentes e uma grande força, por isso era muito apreciado pelos imperadores, que tinham muitos exemplares em seus palácios. Em uma pintura de um salão imperial de 2.000 mil anos, aparece representado um Chow-chow deitado embaixo de uma das mesas, de pelagem vermelha e a mesma expressão dos Chow-chows atuais.

Os mosteiros budistas e palácios, desde o século XIII, foram os grandes preservadores do padrão da raça, pois foram os primeiros a fazerem seleção dos melhores exemplares e, quando necessitavam introduzir novo sangue na criação, viajavam centenas de quilômetros para buscarem qualidade e genes novos para preservarem este cão.
Esta foi, provavelmente, a causa da mudança de comportamento do Chow-chow, mudando de um cão de múltiplo uso para uma cão de companhia.

Marco Polo foi o primeiro ocidental a mencionar e descrever o Chow-chow quando visitou a China no século XVIII. Eles foram, em 1781, levados para a Inglaterra para serem exibidos no zoológico como cães selvagens. A nobreza inglesa apaixonou-se por esta raça e começou a criá-la. Logo houve muitos interessados em possuir esses animais, e em 1895 foi formado o Chow-chow Club. O cão foi ganhando popularidade, nos anos 30 e 40 eram sinônimos de status.

A raça chegou a ser uma das mais populares nos Estados Unidos, o que gerou problemas de saúde típicos de raças muito procuradas. Por causa destes problemas sua popularidade foi caindo da mesma forma que os problemas iam sendo solucionados, pois a "produção em massa" foi trocada por uma criação selecionada.

Há algumas "explicações" peculiares para a língua azul dos Chows-chows. Uma delas, diz que quando Deus criou o mundo, Ele pintou o céu de azul, e algumas gotas caíram no chão. O Chow-chow com seu hábito de lamber tudo, lambeu as gotas e coloriu a língua para sempre.

Outra antiga lenda chinesa conta que há muitos séculos, viveu um monge que morava em cima de uma montanha rodeado de muitos animais, entre os quais haviam muitos cachorros. O monge tratava a todos com grande bondade e eles lhes eram agradecidos. Um dia o monge ficou muito doente, a um ponto que não podia buscar a lenha que necessitava para acender o fogo e cozinhar.

Alguns animais, entre eles, alguns cachorros saíram a buscar alguns troncos de lenha. No bosque haviam algumas árvores queimadas por um incêndio recente e no chão muitos pedaços de carvão que os cachorros levaram em suas bocas até a casa do monge. Os macacos prepararam a comida e o monge comeu e foi melhorando até ficar completamente curado. As bocas e as línguas dos cachorros mantiveram a cor da madeira queimada.

"Chaou" é um dos nomes originais e significa "Um grande, primitivo, e extraordinário cão de grande força" e, posteriormente, chamado de "Ao", provavelmente uma contração de "Chaou". Mas também no mesmo século era chamado de "Man Kou", significando "cão dos bárbaros".

Até 100 A.C. eram chamados de "Mang" (cão com muito pêlo), "Chaou" (cão de grande poder) ou "Ti" (cão vermelho). Parece que o mais provável é que o nome provenha do antigo "Chaou" o término "tchau", que em certa época designava os grandes comerciantes chineses, cujas mercadorias, em cantonês, recebiam o nome "Chow Chow".


Características do Chow-chow Pelo Curto

Enquanto a abundância de pelos, que confere a aparência leonina é a marca registrada dos pelo longos, as rugas abundantes são o charme especial dos Chow-chows de Pelos Curtos. Neles, é possível visualizar as muitas rugas ao longo do corpo, que existem em ambas as variedades, mas são escondidas pelo pelo longo. A língua preto-azulada é característica da raça.

O Chow-chow é um cachorro muito inteligente, porém não é fácil de ser treinado. A sua aparência orgulhosa e imponente reflete um comportamento independente e pouco preocupado em agradar aos donos, muito menos a estranhos.

Assim como um gato, Chow-chows só demonstram interesse em cooperar quando eles estão a fim. Eles gostam de tomar suas próprias decisões e é isso o que eles fazem se você não estiver atento e um segundo na frente deles. É mais fácil você convencê-los a fazer alguma coisa da sua maneira se você se antecipar e não der a oportunidade deles começarem da maneira deles.

Chow-chows levam muito a sério sua função como cão de guarda e irão proteger sua família e propriedade com muita responsabilidade. Mesmo quando propriamente socializados os Chow-chows demonstram pouco ou nenhum interesse na companhia e afagos de estranhos. Eles não são "grudentos" como muitas raças, mas eles apreciam imensamente a companhia de seus donos.

De forma silenciosa e tranquila eles procuram estar sempre perto de seus familiares e mantê-los acorrentados ou trancados do lado de fora da casa é um grande erro. Se um Chow-chow não respeitar, admirar e estiver integrado com seu dono ele pode se tornar um grande problema, demonstrando sinais de agressividade

Raça verificada por:

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Raças Relacionadas

  • Akita

    No Japão o Akita Inu é considerado como parte do patrimônio natural nacional, assim como...

    Leia Mais
  • Akita Americano

    O Akita Americano, conhecido também como Grande Cão Japonês, é um cão muito limpo,...

    Leia Mais
  • Basenji

    O Basenji é certamente o cão mais malicioso dentre todos e não late, pois há quem diga...

    Leia Mais
  • Cão Pelado Mexicano

    OrigemO Cão Pelado Mexicano também é conhecido como Xoloitzcuintle, um nome que faz...

    Leia Mais