Boxer - Absolutamente Tudo do Boxer e as Raças de Cães | CachorroGato

Guia de Raças

Boxer

Quero esta raça

Ficha do Boxer

Boxer

Ao contrário da crença popular, o Boxer não é um cão de combate agressivo; já que, desde o início do século XX, criadores alemães tentaram suavizar sua personalidade para que ele se tornasse um animal adaptado aos novos tempos e, por isso, o Boxer pode ser uma das raças mais equilibradas e amorosas entre os animais caninos.

Embora a sua docilidade possa ser grande, o cão desta raça segue entre os mais desejados e indicados para quem busca animais que possam exercer tarefas de proteção e guarda; já que, além de ser bastante inteligente, também conta com o porte e a destreza que se fazem necessários para defender seus donos.

Dono de uma musculatura forte e desenvolvida, o Boxer é capaz de se movimentar com energia e bastante equilíbrio, mostrando por que é tão popular em serviço que envolver a guarda e a proteção de pessoas ou propriedades nos dias de hoje.

Origem

O Boxer é uma raça alemã que foi criada no final do século XIX. Suas origens podem ser traçadas desde quando foram usados como cães de combate na guerra e na caçada de ursos ou touros selvagens. Com o tempo e as mudanças de hábitos, esses cães têm se adaptado a novas tarefas e, atualmente, muitos cães da raça Boxer são usados como cães de defesa.

A raça tida como seu principal antecessor é o extinto Bullenbeisser (também conhecido como Buldogue Alemão ou Mordedor de Touros), um cachorro de origem alemã que conhecido pelo temperamento agressivo e de combate.

Amplamente utilizado como auxiliar dos humanos em situações que envolviam a caça de animais como javalis, cervos e até ursos, os cães Bullenbeisser tinham uma descendência dos Mastins, sendo que, conforme o passar do tempo, começaram a contribuir, também, em atividades de pastoreio e guarda de rebanhos.

Embora a natureza do seu principal ancestral destaque, especialmente, a agressividade e a força; os Boxers dos dias de hoje já tiveram essa característica bastante amenizada e não costumam figurar mais nas listas dos cachorros mais perigosos ou violentos sem que sejam treinados para isso – podendo, conforme citado anteriormente, servir como ótimos cães de companhia e até interagir tranqüila e amigavelmente com tôo tipo de pessoas e até crianças.

Comportamento

O Boxer é um cão de companhia muito agradável e inteligente, mas reage para defesa sempre quando a situação exige. Ele tem um grande apego e devoção aos seus donos e as crianças da casa, e costuma ser bastante desconfiado quando na presença de estranhos – levando certo tempo para que se sinta devidamente seguro e confiante em relação a pessoas desconhecidas.   

Este cão tem um temperamento bastante alegre brincalhão; sendo que, por isso, pode ter certa dificuldade em ficar parado. Muito ativo, o Boxer gosta de se divertir, pular, brincar e cuidar de sua família e, em função disso, a raça não faz parte da lista das mais recomendadas para viver em locais pequenos ou restritos, como apartamentos – já que necessita de espaços grandes e, de preferência, abertos, para que possa praticar atividades físicas e gastar toda a sua energia acumulada; mantendo-se saudável e feliz.

Além de precisar viver em ambientes onde possa praticar exercícios, o Boxer também precisa da atenção de seus tutores com grande frequência; e quanto mais os seus donos tiverem tempo para propor brincadeiras divertidas para os cães, mais felizes e saudáveis eles poderão ser.

Por ser inteligente – ocupando, inclusive, o lugar de número 83 no ranking das raças caninas mais espertas do mundo – o Boxer pode ser treinado e compreender comandos com certa facilidade, tornando-se ideal para o tipo de atividade em que normalmente é mais requisitado: de segurança e defesa.

Aspecto

O Boxer tem corpo atlético, músculos poderosos e expressão carrancuda – que permite ao animal ser bem desenvolto em atividades ligadas à proteção e pode, também, assustar as pessoas mais desavisadas e que não sabem que a personalidade desta raça pode ser extremamente dócil. Seu corpo tem uma estrutura quadrada e conta com ossos bem fortes, proporcionando-lhe um físico ideal para defender o que quer que seja dos mais diversos perigos e ameaças.

O pelo do Boxer é curto e brilhante, podendo ser colorido ou castanho – e não exige muitos cuidados específicos, além de escovações regulares e banhos periódicos para que mantenha a higiene e possa ficar longe de problemas de pele desenvolvidos em função do acúmulo de sujeira (como dermatites).

Suas orelhas e cauda geralmente são cortadas (encurtadas) ainda quando filhotes, nos países onde isso é permitido; sendo o seu focinho bem largo e imponente, preenchido por uma espécie de máscara na cor preta.

Cuidados específicos

É aconselhável que a educação e os treinamentos do Boxer sejam iniciados quando o cão ainda é filhote, e que os comandos dados à ele sejam mantidos (assim como as regras que lhe são ensinadas) firmemente desde então – já que o processo de aprendizado costuma ser mais acelerado e simples quando o cachorro é submetido a isso desde pequeno.

O Boxer é um cão que não foi feito para viver em ambientes internos ou restritos, já que ele possui uma grande necessidade de viver e poder se movimentar livremente em espaços e áreas externas; de preferência, com um jardim ou quintal, onde possa se exercitar ao longo do dia e se divertir com brincadeiras agitadas.

Esta raça precisa de longas caminhadas diárias para se manter saudável e ficar longe da possibilidade de sofrer com problemas de obesidade. Sua pelagem requer escovação regular e banhos com certa frequência, mantendo a pelagem sedosa e higienizada - para que fique afastado de complicações de pele ou problemas provocados por fungos ou bactérias diversas.

Saúde

É um animal bastante saudável e resistente, mas a raça ainda tem mostrado alta incidência para o desenvolvimento de tumores de diferentes origens. A torção de estômago (também conhecida pelo nome de torção gástrica) – que é um problema causado, principalmente, em função de ocasiões em que o animal ingere uma grande quantidade de alimentos ou líquidos de forma rápida demais – também costuma ser uma complicação bastante vista na vida de cães dessa raça e, por isso, na hora de alimentar um Boxer, é preciso ter em mente que as porções (tanto de comida como de bebidas) devem ser devidamente controladas.


História do Boxer

A maioria dos historiadores concorda que cães da raça Boxer têm nos extintos cães Bullenbeisser - que eram cães de caça usados principalmente para captura de javalis, porcos selvagens e veados – os seus principais antepassados. A participação de cachorros da raça em expedições de caça a animais selvagens, onde eram comumente utilizados, custou a vida de vários exemplares deste forte cão - uma vez que esse tipo de jornada costumava ser absolutamente desgastante e doloroso, tanto para as pessoas quanto para os caninos participantes (para não falar dos javalis).

Algumas fontes dizem que esses cães medievais eram enormes, tinham as orelhas eretas e dentes grandes. Os caçadores costumavam cortar as orelhas dos cães da forma como fazem em alguns países, atualmente, ainda que este costume de época pareça muito cruel e primitivo. Nem todas as gerações de cães viveram na idade civilizada, como os nossos. Hoje, as intenções de pessoas da nossa geração são bem mais civilizadas e aceitáveis entre todas as épocas da história.

Os ancestrais do nosso amado cão Boxer não eram tão fáceis de lidar. Eles estavam lá no momento em que as pessoas eram obcecadas com caçadas brutais e "esportes sangrentos". O assédio aos animais, como touros e ursos, era a atração principal, e era necessário que os cães fossem fortes, ágeis e muito corajosos para garantir a diversão e manter a audiência paga.

Felizmente, para o nosso amigo Boxer, seus antepassados não eram cães muito bem adaptados a este passatempo sangrento: não eram ágeis, rápidos ou pequenos o suficiente para escapar dos chifres e cascos do pobre touro cativo, que estava apenas tentando se defender, com todas as suas forças, das ferozes mandíbulas de cães sanguinários.

Os cães menores eram mais rápidos e estavam mais inclinados a reagir e lutar. Estes gladiadores em miniatura (pesando 16 a 25 kg) destacaram-se nos circuitos de luta contra outros cães. O "esporte" de luta entre cães alcançou rapidamente muitos seguidores, tornando-o um sucesso.

Somente em meados do século XIX, o assédio dos touros e lutas entre cães foram proibidos pelo governo alemão. Dentro de uma linha mais civilizada e utilitária, os ancestrais dos cães Boxer foram frequentemente empregados como cães de açougueiros por causa de sua capacidade de conter um touro. Acredita-se que a reputação de um famoso cão chamado "Boxl", usado por um açougueiro de Berlim, é que deu origem ao nome à raça.

A derivação da palavra Boxer como um nome para um cão de raça pura é bastante irônica, uma vez que a palavra "Boxl", ou "Boxel”, tem como tradução “essencialmente mestiço”. Em 1894, um criador de buldogues famoso chamado Friedrich Roberth, foi o primeiro a cunhar oficialmente em uma publicação o termo "Boxer".

Felizmente os alemães, assim como os Ingleses, nunca foram lentos para formar uma comissão, e dentro de um ano, a partir da solicitação do Sr. Roberth, foi fundado o Munique Boxer Club, onde aconteceu a primeira exposição que admitiu o cão Boxer como raça.

Foi no ano de 1895 que a raça foi apresentada em uma mostra pela primeira vez, em Munique, ganhando mais notoriedade e reconhecimento entre os amantes caninos. Nesta época, de acordo com os estudiosos focados na raça, o Boxer já começava a ser mais parecido com o estilo que conhecemos hoje – tendo sido criado a partir da mistura entre os cães das raças conhecidas como Boxer de Munich e o Buldogue de coloração branca.

A partir disso, este animal já contava com características como o queixo bem desenvolvido e ossos bastante fortes, sendo que os cruzamentos da raça passaram a ser não consangüíneos – buscando eliminar a coloração branca - presente nos Boxers em função da mistura da raça com os Buldogues brancos.

A primeira frase do texto padrão sobre a raça, desde os primeiros dias, ainda descreve perfeitamente nosso cão Boxer: "A aparência externa deve ser de um cão compacto, sólido, forte, poderoso e ativo, que tenha uma postura orgulhosa e se move sobre as pernas retas e saudáveis”.

Embora sejam descendentes dos cães usados nesse tipo de esporte violento, os Boxers dos dias de hoje já destacam um temperamento muito mais calmo, tranqüilo e equilibrado quando comparado os seus ancestrais. Usado, após esse período de caças e batalhas, como um bom cão de pastoreio, o Boxer evoluiu muito daquela época até os dias de hoje – em que, além de poder ser utilizado como um eficiente cão de guarda, também pode servir como um fantástico animal de companhia.

Por ser inteligente e bastante equilibrado, o cachorro da raça Boxer conta com uma grande facilidade em ser treinado para exercer funções de defesa e proteção – sendo considerado um eficiente cão de guarda (tanto quando age para proteger pessoas queridas como quando o seu foco de defesa é uma propriedade ou área específica).

Tranquila e bastante apegado aos seus donos, a raça pode conviver bem com pessoas de todos os tipos – sendo que, apesar da sua cara carrancuda, costuma interagir extremamente bem com crianças e idosos; sendo um animal bastante indicado pra famílias grandes e que vivam em espaços amplos e abertos.

Desconfiado com estranhos, o Boxer tende a quere defender as pessoas que ama com unhas e dentes e, por isso, o seu adestramento é indicado desde filhote – facilitando um controle maior por parte do animal nestes momentos de desconfiança para evitar a ocorrência de acidentes banais.


Características do Boxer

O Boxer de hoje tem muito pouco a ver com o caçador de touros dos tempos antigos e até mesmo com a principal raça que lhe deu origem, chamada de Bullenbeisser. Embora seja fascinante aprender sobre as origens do nosso amado cão, ainda são poucas as pessoas que realmente acreditam na relação da raça com as muitas histórias contadas sobre o seu surgimento, como a do açougueiro (citada anteriormente na sua descrição).

De qualquer forma, podemos imaginar que um cão que foi usado para imobilizar um javali no chão da floresta precisava ter muita coragem, perseverança e determinação. Essas são três características desejáveis para um cão de proteção, e elas servem de definição perfeita para o Boxer. Parece improvável que um animal muito inteligente gostasse de executar um trabalho estúpido como os dos primeiros Boxers. De qualquer forma, a raça já evoluiu e deixou para trás essa mentalidade primitiva e hoje se mostra um cão muito inteligente e engenhoso.

Há muitas qualidades cativantes que caracterizam a raça como cães dóceis, bem humorados, orientados para o convívio com a família, facilmente treináveis e adaptáveis. De todos os cães de trabalho, a raça é sempre notada pela doçura de seu caráter. São cães muito inclinados para as pessoas e são devotadamente apegados às suas famílias, sendo excelentes protetores.

Um cão desta raça vive muito bem em uma família, sendo um bom companheiro, tanto para as crianças, quanto para os idosos por seu comportamento sempre respeitoso e muito obediente a todos os membros da família. O cão Boxer reconhece instintivamente pessoas amigas. Ao contrário de outros cães menos distintos, como o Golden Retriever e o Beagle, o Boxer não aceita todos como seu "melhor amigo".

Quando o seu cão se afasta ou rosna para uma pessoa ele está dizendo que algo não está certo. O Boxer é extremamente bom como juiz de caráter. Esta raça carrega seus instintos desde muito longe: são instintivos, mas não psicólogos. Dizer que o Boxer é treinável não significa que seja exatamente uma tarefa fácil treiná-lo. Um proprietário dedicado, provavelmente terá menos dificuldades treinar seu cão.

Também por isso, é recomendado que o adestramento e os treinamentos desta raça sejam iniciados quando o cão ainda é um filhote – já que isso pode facilitar e acelerar bastante o seu processo de aprendizado. Inteligente, o Boxer ocupa a posição de número 83 no ranking das raças caninas tidas como as mais espertas entre todas existentes e, por isso, com um nível consideravelmente alto de dedicação, é possível condicioná-lo para quase qualquer tipo de tarefa.

Diferentemente de seus ancestrais, este cão tende a se perguntar "Por quê?" antes de executar uma ordem recebida, especialmente se ele precisar executá-la quatro ou cinco vezes seguidas. O Boxer de hoje é moderno de espírito, mas precisa de um pouco mais de motivação para executar o seu trabalho de obediência. Existem centenas de Boxers com títulos de obediência ao nosso redor, para não mencionar os cães de serviço altamente treinados, cães policiais e cães militares, para atestarem a treinabilidade da raça.

Como a raça é muito orientada para as pessoas, eles se preocupam muito pouco o ambiente onde vivem. Embora não seja impossível criar um cão da raça Boxer em um ambiente pequeno, como o de um apartamento (desde que receba a atenção adequada e possa fazer exercícios físicos diários); o mais indicado é que a vida desta raça específica possa ser em um ambiente grande e amplo – de preferência, com espaços abertos, como os de terraços, jardins o quintais; permitindo que o cão de estimação se divirta enquanto pratica atividades físicas e gasta a sua grande energia pelo local.

Dono de um corpo robusto e que conta com uma estrutura extremamente forte, o Boxer destaca músculos bem definidos, ossos resistentes, pouca gordura no corpo e pode ser considerado um cachorro de porte médio ou grande. Seus olhos podem ser de cor amendoada ou marrom bem escura e seu focinho é largo, sendo que a sua orelha e longa e baixa – com exceção dos países onde o corte da orelha deste cão ainda é permitido.

Enquanto os machos da raça medem entre 56 e 62 centímetros de altura e pesam até 35 quilos; as fêmeas do Boxer são um pouco menores, medindo entre 52 e 58 centímetros de altura e pesando aproximadamente 26 quilos. Com uma pelagem curta e, geralmente brilhante; o cachorro desta raça não necessita de muitos cuidados específicos além de escovações constantes e banhos regulares.

Um problema que é relativamente comum entre os Boxers e que merece a atenção dos donos de pets desta raça canina é a torção gástrica (ou torção de estômago). Provocada, principalmente, pela ingestão exagerada e muito rápida de alimentos ou líquidos, essa complicação pode levar os cães afetados à morte dentro de poucas horas – sendo que, mesmo quando o animal nessas condições é devidamente atendido por um profissional veterinário, não há garantia de sobrevivência.

Raça verificada por:

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Raças Relacionadas