Bedlington Terrier (Rothbury Terrier) - Raças de Cães | CachorroGato

Guia de Raças

Bedlington Terrier

Rothbury Terrier

Quero esta raça

Ficha do Bedlington Terrier

Bedlington Terrier

O Bedlington Terrier é um cão de aparência bastante curiosa, surpreende com suas mandíbulas fortes e cabeça em forma de pera, coberta com uma pelagem muito encaracolada e sedosa. O corte de pelo do Bedlington Terrier é único entre os cortes do Terrier, que é baseado em linhas curvas. O comprimento do pelo do corpo não deve exceder 3 cm, sendo um pouco mais longo nas pernas. Deve-se tosar o pescoço em forma de um "U", também se deve aparar a cauda, as unhas e o topo das orelhas até a ponta deixando um pequeno tufo de pelo.

Origem

O Bedlington Terrier é uma das mais antigas raças de cão na Grã-Bretanha, sendo resultado do cruzamento entre o Poodle, o Dandie Dinmont Terrier e o Whippet. Estima-se que a raça já estava estabelecida no final do século XVIII, no distrito de Bedlington. Este cão era muito apreciado pelos mineiros no norte da Inglaterra, que usavam este cão para exterminar os ratos nas galerias. Os caçadores também o consideravam um perseguidor incansável de lebres, texugos e raposas.

Comportamento

Como todo Terrier, o Bedlington é muito tenaz e destemido. Sua herança de sangue deu leveza, flexibilidade e vivacidade para a raça. Este é um cão que gosta muito de praticar esportes e aprecia ir ao jardim para correr. Isso não significa que a raça não se adapte bem à vida no interior de casas, mas é necessário levá-lo todos os dias para longas caminhadas. É um cão muito gentil, brincalhão, carinhoso e obediente, mas às vezes pode se recusar a obedecer tudo o que for contrário à sua vontade. Como reflexo de sua própria linhagem, este cão sempre toma a iniciativa nas brigas com outros cães, mas no geral ele é um cão de companhia charmoso e ideal.

Aspecto

O corpo do Bedlington Terrier é flexível, potente e elegante. Suas pernas são de tamanho médio, leves e musculosas. Os membros posteriores parecem ser mais longos que os anteriores, por causa da curvatura dorsal e lombar. A cabeça é arredondada e estreita, em forma de pera, coberta por uma pelagem sedosa e abundante. A raça tem um topete quase branco, e o nariz “romano” forma uma linha continua com o crânio. Suas orelhas têm tamanho moderado e formato oval, inserção baixa, pendentes, rentes às bochechas, tem cor esbranquiçada e dispostas em franjas sedosas. Os olhos do Bedlington Terrier são pequenos e brilhantes, inseridos e fundos, com formato triangular. Sua cauda tem tamanho médio, afinando para a extremidade, com uma curva moderada e leve plumagem, portada para baixo, jamais para o dorso ou na horizontal. A raça tem um pelo bastante espesso e emaranhado que tende a enrolar.

Cuidados específicos

É essencial escovar e pentear, uma vez por semana e levá-lo a um estilista profissional, para manter a silhueta. O corte do pelo precisa ser feito com tesoura e é bastante complexo e meticuloso. É importante que a primeira tosa seja feita por um especialista por uma questão de capricho, e a grande vantagem da raça é que não há troca de pelos. A dieta deste cão deve descartar completamente pimenta, pão, molhos e certos peixes, todos os alimentos ricos em cobre, que é um elemento prejudicial e muito difícil de remover do organismo de um cão.

Saúde

A raça Bedlington Terrier é muito resistente e não propensa a doenças específicas. ?Vários espécimes são tão sensíveis ao cobre que poderiam sofrer uma doença grave, semelhante à hepatite Wilson em seres humanos.


História do Bedlington Terrier

Originário do norte da Inglaterra, e mais precisamente na região de Northumberland, o Bedlington Terrier é uma das mais antigas raças da Grã-Bretanha. Acredita-se que a raça já estava estabilizada no final do século XVIII, no distrito de Bedlington e que os proprietários tenham começado a registrar sistematicamente os acasalamentos e nascimentos para validar e realizar os pedigrees.

Quanto às origens exatas do Bedlington Terrier, existem várias hipóteses. É geralmente aceito que ele foi criado pelo cruzamento de um Poodle e um Dandie Dinmont Terrier, mas o mais provável é que o Whippet tenha lhe dado características de sangue. Chamado primeiro como "Rothbury Terrier", o Bedlington Terrier foi muito apreciado pelos mineiros que queriam um cão Northurnberland capaz de exterminar o grande número de ratos que fervilhavam pelas galerias.

Capaz de detectar e antecipar explosões de grisu, os caçadores o viam como um perseguidor incansável de lebres, texugos e raposas. Casos em que os criadores cruzavam o Bedlington Terrier, com cães que eram menores do que os que vemos hoje ocorreram, porque, ricos ou pobres, todos desejavam vê-los envolvidos em apostas de corridas, que eram muito populares no Reino Unido no século XIX.

Nessas condições, não há indicação de que o cão Bedlington Terrier final acabaria se tornando um animal tão vivo e companheiro, como é hoje. O físico desta raça começou a evoluir, seu pescoço ficou mais longo e sua aparência se tornou muito mais sofisticada. Em 1869, foi criado um clube Inglês que reunia muitos fãs da raça e em seguida, lentamente, o Bedlington Terrier cruzou as fronteiras com o Canadá, Estados Unidos, Holanda e Alemanha, assim como a França.


Características do Bedlington Terrier

Às vezes é dito que devemos ter um olho de cinófilo para poder ver uma raça de morfologia tão única quanto a da raça Bedlington Terrier. Quem decide comprá-lo porque lhe agrada a aparência de ovelha, certamente irá, de bom grado, ceder à tentação de estragar este cão imediatamente confundido pelas crianças com um bicho de pelúcia.

Mas o lado sofisticado não foi totalmente abolido com o seu passado de Terrier. Ele ainda tem o mesmo pendor para o esporte, pela sua boa força muscular, combinada com a tenacidade e bravura, características comportamentais do Terrier. Além disso, a herança genética deu ao galgo Bedlington Terrier uma leveza e vivacidade nas reações típicas da raça. Ele é capaz de saltar um grande obstáculo sem precisar pegar impulso, assim como os gatos.

O cenário ideal para este cão é uma casa com um jardim onde possa se mover à vontade, mas também se adéqua perfeitamente para a vida no interior de uma casa, desde que seus donos ofereçam uma boa caminhada todos os dias e não apenas alguns minutos fora de casa.

A combinação de sangue do cão Terrier lhe deu uma personalidade distinta. Apesar de ser educado desde a infância, nunca deixará de ter um comportamento hostil como resposta a qualquer tipo de formação autoritária. O Bedlington Terrier é um cão muito atencioso e carinhoso, sempre disposto a fazer qualquer coisa para agradar seus donos, mas pode se recusar a obedecer, quando confrontado com vontades conflitantes. Talvez mais do que outros cães, os desta raça costumam escolher o seu preferido dentro da família que o recebe, o que não será um obstáculo para exibir um comportamento amigável com os visitantes frequentes, mas quando se trata de estranhos, procure vigiar e aguardar o tempo que for preciso para ele se ajustar.

Extremamente brincalhão, este cão não irá se desenvolver adequadamente se for para ficar sozinho com muita frequência ou por muito tempo. Com relação a outros cães, demonstram um convívio sociável. Ele não deve começar a luta, mas se for preciso tomar parte em uma luta, vai se lançar com decisão.

O Bedlington Terrier é um cão corajoso e não irá vacilar nem por um instante em defender o seu dono, mesmo contra um adversário mais forte que ele. Instintivo, mesmo com a aparência sofisticada de hoje, nada impedirá que o Bedlington Terrier corra pelas galerias e minas em busca de roedores, como nos velhos tempos. Esta é certamente uma razão pela qual os homens tinham uma profunda amizade com este cão e queriam mantê-lo com eles.

Ele era considerado indispensável como assistente para os caçadores, também porque não era um cão que costumava latir enquanto perseguia a lebre. De qualquer forma, o fato é que, tanto como auxiliar para os mineiros, quanto para os caçadores, este cão tornou-se o companheiro ideal de todos.

Além de colaborar com Beaucerons como guia de rebanho ou acompanhar os grandes caçadores na busca de um animal ferido é, essencialmente, na vida diária, onde este velho inglês encontra o equilíbrio e seu verdadeiro papel. O Bedlington Terrier está sempre presente e quando necessário promove manifestações comunicativas de alegria.

Raça verificada por:

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Raças Relacionadas