SUF - Síndrome Urológica Felina | CachorroGato

Conheça a SUF - Síndrome Urológica Felina

Conheça a SUF – Síndrome Urológica Felina e saiba que tipo de complicações este quadro pode provocar no seu bichano

O trato urinário dos bichanos é uma pauta frequente quando o assunto abordado são problemas que afetam os gatos, e a SUF – Síndrome Urológica Felina é uma doença que entra nesta categoria. Desencadeada por motivações bastante diferentes, na maioria dos casos, a patologia afeta os machos felinos; no entanto, isso não quer dizer que as fêmeas também não sofram deste mal.

A SUF – Síndrome Urológica Felina é uma doença que pode ser bastante perigosa e, se não for tratada com rapidez, é capaz de comprometer a saúde do gato de maneira agressiva, desencadeando um quadro de insuficiência renal que pode levar o animal à morte em poucos dias.

Dificuldade em urinar e dor são alguns dos principais sinais da SUF em gatos; a presença de sangue na urina do animal também pode ser observada na maioria dos casos da doença. Além dos sintomas físicos, alterações de comportamento também ocorrem na maioria dos bichanos afetados pela doença, que passam a fazer xixi em locais inapropriados e com uma frequência maior.

suf-sindrome-urologica-felina

Embora as visitas do felino à caixa de areia aumentem (ou ao chão da sua casa, levando em conta as mudanças de comportamento que os gatos com SUF demonstram), a quantidade de urina liberada pelo animal é muito pequena; sendo que, quando o felino deixa de urinar por completo, o quadro da patologia é considerado uma emergência – podendo, inclusive, ser necessária uma cirurgia para reverter essa situação.

Uma série de fatores – como obesidade e idade avançada – podem aumentar os riscos de que a Síndrome Urológica Felina ocorra, no entanto, também existem algumas medidas que podem ser tomadas para prevenir o aparecimento da doença nos bichanos. Confira, a seguir, os principais fatores que podem desencadear a SUF e conheça seus principais sintomas, formas de prevenção e tratamentos.

Leia Mais: Câncer em Gatos – Como identificar e tratar

 

Causas da SUF – Síndrome Urológica Felina

Mais comum em machos e em gatos com idade a partir de dois anos, a Síndrome Urológica Felina conta com uma série de fatores que aumentam os riscos do seu aparecimento, incluindo falta de atividades físicas, obesidade, uma dieta muito seca, falta de hidratação constante e idade avançada.

Conforme citado anteriormente, os gatos machos tenham uma predisposição maior a sofrer com o problema;  isso se dá em função do formato da sua uretra, que é mais longa e fina que a das fêmeas – formando cálculos renais com mais facilidade e, consequentemente, causando a obstrução da região.

Estresse, tumores, bactérias e vírus também são considerados fatores que facilitam o surgimento da SUF nos gatos; sendo que a melhor maneira de prevenir o seu felino desta doença é, além da vacinação, evitar os fatores descritos como de risco. Portanto, manter uma dieta balanceada e que tenha rações úmidas, incentivar o felino a se exercitar, estimular a hidratação de todas as maneiras possíveis assim como a miccção são atitudes que podem ajudar muito a evitar a complicação.

suf-gatos

 

Sintomas da SUF

Causando problemas nas áreas da bexiga e da uretra dos bichanos, a Síndrome Urológica Felina causa alguns sintomas bastante característicos, conforme exposto a seguir:

  • Urina frequente e em pouca quantidade;
  • Dificuldade e dor ao urinar;
  • Mudanças de comportamento: o gato passa a fazer xixi em locais inapropriados, mesmo já contando com um local específico para isso;
  • Dor e desconforto na região abdominal;
  • Vestígios de sangue na urina do animal (hematúria);
  • Falta de apetite;
  • Depressão;
  • Vômitos;
  • Anúria: o animal para de urinar por completo;

As mudanças de comportamento e a presença de sangue na urina acabam sendo alguns dos sinais mais notados pelos donos de gatos com a SUF, portanto fique ligado nos sintomas e ao notá-los leve o seu bichano para uma consulta com um profissional veterinário.

 

Tratamento da Síndrome Urológica Felina

O tratamento da SUF – Síndrome Urológica Felina será indicado de acordo com as causas do surgimento da doença e o seu nível de desenvolvimento no animal. Retirar a urina presa na bexiga do gato é a primeira providência para tratar o problema, e isso pode ser feito com o uso de uma sonda uretral – no entanto, casos mais graves podem necessitar de uma cirurgia específica e até mesmo chegar à Penectomia - que é a retirada total do pênis e a exteriorização da uretra.

Antibióticos e antiinflamatórios são frequentemente receitados para ajudar no tratamento da SUF, entretanto, o uso de medicamentos também irá depender do estado em que se encontra o animal acometido e a causa da alteração. Realizadas as principais providências, uma mudança na dieta do animal se torna fundamental para que o problema não ocorra novamente.

Vale lembrar mais uma vez que somente um médico veterinário é capaz de diagnosticar o felino e indicar o melhor tratamento para a Síndrome Urológica Felina; portanto, ao perceber os sintomas no seu bichano, corra para uma clínica veterinária – já que, quanto antes for iniciado o tratamento do problema, mais fácil e mais rápido ele será.



Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/gato/suf-sindrome-urologica-felina/

Categorias:
Saúde do Gatos
Tags:
bichanos, cuidados, doenças, felinos, gatos, pets, saúde, síndrome urológica felina, suf

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 10.687), formado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Unesp com Pós Graduação em Oncologia Veterinária pelo Instituto Bioethicus e Pós Graduação em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais pelo Instituto Qualittas. Responsável pelo setor de Oncologia Médica e Cirúrgica do Hospital Veterinário Cães e Gatos 24h. Dr. Toyota é integrante da equipe de Veterinários do portal CachorroGato e também responde por dúvidas na ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados