Gato e Passarinho - É possível uma boa convivência?

É possível uma convivência harmônica entre gato e passarinho?

Sempre que se quer juntar dois animais domésticos de espécies diferentes na mesma casa, muitas dúvidas vem à tona sobre uma boa convivência. Em alguns casos é mais simples, como juntar cachorro e gato, pois eles não são inimigos naturais. Entretanto, há quem queira ter gato e passarinho em casa, e esse tipo de união é mais complicado, pois entre as espécies há sim uma relação natural de predador e presa. O que não quer dizer que a convivência seja impossível.

 

Tudo é questão de personalidade

 

Quando se quer unir gato e passarinho no mesmo ambiente, tudo depende. Há situações que são mais simples para criar uma relação amigável e outras mais complicadas, tudo vai depender de como ela acontece e da personalidade dos animais.

Leia Mais: Carrapato em Gatos – Gato também pega carrapato?

Lidar com filhotes é a maneira mais simples de acostumá-los a animais de outra espécie, pois eles ainda não desenvolveram sua personalidade e seus instintos ainda são baixos (embora existam).  Ter um gatinho filhote sendo criado desde cedo em contato com o pássaro é a maneira mais simples de fazê-lo entender que aquele bichinho é um companheiro, e não uma presa.

 

gato-passarinho

 

Manter o pássaro fora da gaiola por um tempo, junto com o gatinho, para que ele cheire, lamba e brinque com ele é o mais indicado para fazê-lo se acostumar. Se o passarinho ficar na gaiola a vida inteira, o gato pode acabar ficando curioso sobre ele e tentar pular na gaiola para ver o que é, e isso pode acabar causando estragos.

Se o gato é mais velho e o passarinho chega em casa, a situação muda completamente. É importantíssimo que o dono conheça o seu animal e saiba como ele lida com pequenos animais. Se o gato é um caçador nato e ativo, talvez não seja a melhor ideia levar um pássaro para casa, pois a adaptação seria bem mais complicada do que se o gato fosse mais calmo.

Tente acostumar aos poucos o gato com a presença do passarinho, para que ele ouça os barulhos e sinta o cheiro, e veja como ele reage ao bichinho. Estabelecer uma relação de carinho com os dois juntos pode fazer o gato entender que o passarinho é um membro da família, e não uma presa. O importante é saber exatamente o que se passa na cabeça do gatinho e quais as suas reações à situação para ver se funciona.

 

Todo cuidado é pouco

 

gatos-passaros

 

Gatos são predadores naturais de pequenos animais, como pássaros e roedores. Isso significa que mesmo que seu gato tenha sido criado com ração, dentro de casa e seja muito calmo, seus instintos podem aparecer ao ver um animal pequeno.

Manter a gaiola em um espaço onde o gato não tenha acesso é crucial para não acontecer desastres enquanto o dono está fora, principalmente no começo da adaptação. Toda interação entre gato e o passarinho deve ser feita sob supervisão do dono, mesmo que o pássaro esteja dentro da gaiola. Tente manter seu gato sempre relaxado e cuidado, para ele não acabar atacando o pássaro por se sentir ameaçado já que divide a atenção do dono com outro animal.

Com calopsitas, cacatuas, caturritas e algumas outras espécies de pássaros que normalmente preferem ficar soltos andando pela casa o cuidado deve ser redobrado. Se seu gatinho foi acostumado desde filhote com a presença das aves soltas em casa, é provável que não haja problemas. Mas se o pássaro precisa ser acostumado com um gato mais velho, o dono deve estar sempre muito alerta quando deixar o passarinho solto pela casa. Isso só deve acontecer depois que o gato estiver muito acostumado e à vontade com o pássaro, pois gatos são animais muito astutos e velozes, e, mesmo que o pássaro esteja nas mãos do dono, ele pode conseguir pegar.

 

A castração ajuda, mas não é a única saída

 

É sabido que gatos castrados tornam-se menos ativos e perdem um pouco seu gosto pela caça, tornando-se animais mais caseiros. É importante castrar o gato se vai ter um pequeno animal em casa, pois o corte de produção de hormônios sexuais ajuda a inibir certos comportamentos do gato, como demarcar território e ser agressivo.

Entretanto, a castração não é toda a solução. Ela ajuda muito, mas outras atitudes podem ser tomadas. Se seu gato é filhote, não estimule o instinto de caça dele fazendo brincadeiras estilo correr atrás da bolinha no cordão. Se ele não é estimulado a caçar coisas pequenas que se mexem, ele vai ter muito menos interesse em perseguir o passarinho. Manter um espaço só para o gato na casa, com brinquedos e arranhadores para ele se divertir também é importante, para ele não ter tanto interesse no passarinho.

Juntar gatos e passarinhos é uma decisão que deve ser muito bem pensada e planejada, para evitar qualquer acidente. Não é bom arriscar e ver o que acontece, pois pode acabar mal. Conheça a situação e a personalidade do seu gato antes de ter um pássaro, e fique sempre de olho.

Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/gato/gato-passarinho/

Sugira novo tema para um artigo
Categorias:
Comportamento dos Gatos, Fases da Vida dos Gatos, Saúde do Gatos
Tags:
bichanos, comportamento, convivência, cuidados, felinos, gatos, passarinhos, pássaros

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médica Veterinária (CRMV- SP 20.567) formada pela Universidade Estadual de Londrina - PR com Especialização em Radiodiagnóstico pelo Instituto Veterinário de Imagem (IVI). Responsável pelo setor de diagnóstico por imagem do Hospital Veterinário Cães e Gatos 24h atuando nas áreas de radiologia, ultrassonografia e ressonância magnética. Dra. Madi é integrante da equipe de Veterinários do portal CachorroGato e também responde por dúvidas na ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados