Especialista em gatos – Entenda o especialista em medicina felina | CachorroGato

Especialista em gatos – Entenda o especialista em medicina felina

Os gatos não são cachorros pequenos e cada vez mais são necessários os especialistas em medicina felina para um bom tratamento.

Os felinos domésticos têm atraído cada vez mais fãs e pessoas interessadas em cria-los, com isso nada mais natural do que o crescimento do mercado especializado nos bichanos e aumento do número de profissionais especialista em gatos. Em alguns países desenvolvidos a população de felinos já se tornou maior do que de cachorros e em outros, como o próprio Brasil, a população de gatos está se desenvolvendo bem mais rápido do que a de cachorros e em breve deve se igualar a ela em números de exemplares.

Os gatos possuem um jeito todo exclusivo de ser que é um dos principais atrativos como bichinho de estimação, mas é exatamente por serem tão diferentes que uma atenção especial é desejada por seus donos, afinal muitos veterinários estão acostumados a lidar majoritariamente com cachorros e gatos são animais muito diferentes desses. O especialista em gato é o profissional que entende dessa diferença.

Especialista em gatos

Atualmente algumas clínicas veterinárias são voltadas exclusivamente ao atendimento de gatos, com profissionais especializados no assunto. Existe também outro mercado relacionado ao tema: o de atendimento domiciliar, também com especialistas em medicina felina. Alguns hospitais – ou até mesmo clínicas veterinárias – possuem não apenas profissionais especializados em felinos, mas também profissionais especializados em diferentes áreas como dermatologia, oftalmologia, entre outros.

Como os profissionais estão se adequando?

Atualmente as escolas de medicina veterinária estão atentas a essa modificação no mercado dos pets e se preocupam em encontrar profissionais especialistas em medicina felina para ministrar aulas. O pedido de professores com esse conhecimento também parte dos alunos, que possuem uma visão mais ampla sobre a necessidade de aprimorar o atendimento de felinos.

Leia Mais: 7 Doenças indicadas pela halitose felina

Alguns hospitais veterinários apresentam uma área especial para felinos e os estudantes – sejam eles universitários ou de pós-graduação – acompanham a rotina de como esses pacientes mais dos especiais devem ser atendidos. A tendência é que cada vez mais os próximos médicos veterinários se formem com um olhar mais atento ao paciente felino e seus donos conhecidos como exigentes.

Para aqueles médicos veterinários já formados existem algumas opções de cursos de especialização voltados para medicina felina e os sistemas dos gatinhos. O enfoque nas diferenças do organismo felino é muito importante para o profissional veterinário. O gato passou por um processo de domesticação muito diferente dos cachorros e por isso seu organismo se comporta de forma tão diferente, tendo se modificado menos.

Como escolher um veterinário?

Uma das maiores reclamações de quem é dono de um bichano – ou de vários bichanos – é conseguir um profissional que saiba como tratar esses pets. Para os donos não faltam profissionais que se dizem amantes de gatos, mas que não sabem como trata-los adequadamente. É importante observar como o veterinário lida com o seu gato.

  • Lembre-se que felinos costumam ficar ariscos em situações como idas ao veterinário e por isso eles podem arranhar ou terem outras reações pouco simpáticas. Esse tipo de atitude não é culpa do médico veterinário e sim parte da natureza do gato. O que conta é como o profissional se sai nessa situação, ele não precisa ser do tipo carinhoso e afetuoso – alguns médicos veterinários são mais secos - com o bichano, mas deve saber como o tratar adequadamente.
  • O veterinário deve passar confiança e, além disso, deve resolver o problema em questão no lugar de criar novos, quando possível. É importante lembrar que infelizmente alguns problemas de saúde são crônicos e, consequentemente, a melhora não é definitiva.
  • Aqui é onde entra o especialista em medicina felina, ter um veterinário que conhece melhor determinado assunto pode ajudar em muito no atendimento, existem doenças de felinosque poucos clínicos gerais têm conhecimento; necessitando, assim, de um especialista para um diagnóstico correto e tratamento. Alguns destes especialistas atendem em casa, o que geralmente reduz o estresse do gatinho.
  • Assim como fazemos com médicos para humanos, costumamos pedir indicações de amigos na hora de escolher um veterinário para nossos companheiros de quatro patas. As indicações valem a pena começar, mas não insista se o profissional não parece o melhor para seu bichano.
  • Apesar de alguns veterinários atenderem em casa, perceba o que deixa seu gato mais a vontade. Algumas vezes o felino pode se mostrar mais agressivo em casa por ter um desconhecido num ambiente que considera seu do que em uma clínica, mesmo sendo este um ambiente que ele não conhece.

Infelizmente uma parte dos profissionais ainda tratam gatos como cachorros, demostrando uma falta de conhecimento em medicina felina. Um veterinário que sabe como lidar com um felino é aquele que vai evitar movimentos bruscos e contenções desnecessárias, tentando criar um ambiente menos estressante e com menos ruídos. Ao lidar com o dono do bichano, o veterinário deve estar aberto a tirar duvidas, pois os proprietários costumam questionar mais e querer saber mais sobre a doença e tratamento. Caso não se sinta seguro, não hesite em procurar uma nova opinião.

Especialista veterinário em felinos

Como o veterinário deve atender meu gatinho?

Um clínico veterinário também pode ser um profissional que atende as necessidades do felino. O clínico pode se manter atualizado e fazer cursos na área de medicina felina, estando atento ao mercado, como tratar gatos e donos de gatos – que são um publico geralmente exigente. Este profissional deve entender bem sobre a fisiologia, metabolismo, comportamento, entre outros fatores que influenciam muito no tratamento do paciente felino.

O profissional que trata o gato – seja ele o clínico ou o especialista em felinos - deve conhecer suas reações, uma vez que o felino pode agir de forma agressiva, tentar escapar e usar de diversos artifícios de defesa na situação estressante que é o ambiente do veterinário. Ele deve também saber como e quando usar a contenção, evitando estressar mais o gato e agindo de maneira segura para ambos.

O ambiente destinado ao atendimento felino deve ser preferencialmente utilizado apenas a essa prática, evitando barulhos e cheiros em excesso. O uso de brinquedos pessoais do gatinho ou algum material que pertença ao dono pode ajudar a passar maior segurança a ele.  O exame deve ser feito ao tempo do bichano – eles gostam de passar por processo de adaptação ao ambiente - e algumas vezes é necessário se adequar ao ambiente que ele escolheu e se sente mais confortável.

Filhotes podem ser atraídos com petiscos e brinquedos. Além disso, no caso de hospedagem ou internação o ambiente também deve ser pensado para minimizar ao máximo o estresse do gato, portanto é importante conhecer as instalações da clínica.

Mesmo com a evolução da medicina veterinária nos últimos tempos, ainda existem muitas doenças felinas pouco conhecidas e sem tratamentos adequados, além da falta de protocolos bem definidos com relação ao uso de medicamentos, exigindo que o proprietário fique atento às reações de seu felino durante o uso de algum fármaco.

Sobre medicamentos

Como dito antes, felinos são especiais. No entanto eles não são especiais apenas em seu comportamento, mas também seus organismos possuem particularidades. Os gatos foram tratados por muito tempo com cães de pequeno porte pelos veterinários e, portanto, tudo que se aplicava aos caninos era usado nos felinos sem restrições.

Profissional veterinário especialista em gatos

A medicina felina vem evoluindo cada vez mais e com isso foi descoberto que o metabolismo dos gatos é muito diferente do de vários animais – eles, por exemplo, não apresentam uma via de metabolização de fármacos muito comuns – e podem ter problemas seríssimos – inclusive morte - com medicamentos receitados ou indicados de maneira inapropriada.

Alguns medicamentos muito comuns não podem ser usados por gatos, ou pela falta de substâncias responsáveis pela transformação e metabolização ou eliminação do mesmo; ou devem ser usados em doses menores por permanecerem mais tempo no organismo. O médico veterinário é o profissional mais indicado para prescrever o fármaco correto e em dosagens corretas para seu felino, além de ser capaz de orientar sobre os medicamentos contraindicados.

Além de tudo, os gatos são mais sensíveis a gostos diferentes e podem não aceitar medicamentos misturados a sua comida ou líquidos, cabendo ao veterinário escolher a melhor forma de administração e orientação do dono quanto ao assunto. O profissional em medicina felinadeve também conhecer bem os medicamentos que podem ser e não podem ser administrados ao gato.



Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/gato/especialista-em-gatos/

Categorias:
Saúde do Gatos

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV–SP 15.821) formado pela Universidade de São Paulo (USP). Mestrado em Cirurgia pelo Laboratório de Cirurgia Cardio-torácica da Universidade de São Paulo (USP). Docente do Curso de Especialização em Oftalmologia Veterinária – ANCLIVEPA – SP. Responsável pelo Setor de Cirurgia, Ortopedia e Oftalmologia do Hospital Veterinário Cães e Gatos 24h, atuando nas áreas de cirurgia geral, ortopédica, torácica e vascular, Oftalmologia clínica e cirúrgica e clínica geral. É integrante da equipe de veterinários do portal CachorroGato e também responde por dúvidas na ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados