Diabetes em Gatos - Como diagnosticar e de que forma tratar | CachorroGato

Diabetes em Gatos - Como diagnosticar e de que forma tratar

A diabetes em gatos não costumava ser muito comum, mas vem sendo cada vez mais diagnosticada

A diabetes é uma doença que vem crescendo e preocupando os humanos, os levando a procurar uma vida mais saudável. Mas o que nem todo mundo sabe é que a diabetes tanto do tipo 1 quanto do tipo 2 vem crescendo dentro do mundo animal também, principalmente entre os gatos, e esse é um problema tão grave quanto em humanos.

A diabetes mellitus é uma doença que vem afetando cada vez mais os gatos, e suas causas e sintomas são os mesmos que nos humanos. A diabetes em gatos é uma doença que afeta a produção de insulina do pâncreas do bichinho, que acaba por produzir menos do que devia. Além das vitaminas e proteínas necessárias para a nutrição do gatinho, seu corpo também absorve carboidratos que acabam se transformando em açúcares, como a glicose. A insulina ajuda a célula a transformar a glicose em energia, e com a falta dela, essa glicose acaba se instalando na corrente sanguínea e causando hiperglicemia.

diabetes-gatos

 

A diabetes felina é como a humana

 

Leia Mais: Carrapato em Gatos – Gato também pega carrapato?

A diabetes felina está mais associada a gatos idosos ou acima do peso (por isso a incidência é maior em machos castrados), mas está cada vez mais comum gatos jovens e saudáveis serem diagnosticados com a doença. Então, assim como com os humanos, a diabetes em gatos está relacionada à uma pré-disposição do organismo, combinada com má nutrição, obesidade e sedentarismo.

Sem tratamento, a doença pode causar outros problemas com o passar do tempo, como a má mobilidade das patas e perda de massa muscular. Isso pode acarretar outros problemas sérios ao organismo do bichinho por ele ficar mais fraco, então esteja atento.

 

Diagnóstico e tratamento rápidos são cruciais

 

Para os felinos a diabetes também pode ter o tipo 1 e tipo 2, mas a maioria dos casos em gatos tem o diagnóstico de tipo 2. A diferença entre ambas é o funcionamento do pâncreas, na tipo 1 o órgão praticamente para de funcionar, e na tipo 2 a produção de insulina é insuficiente.

diabetes-felina

Mesmo sendo diagnosticado com a tipo 2 (o que é mais comum), normalmente o médico veterinário indicará insulina, mesmo que não seja um caso tão severo, mas esta decisão vai depender do quadro em que a doença for encontrada. O veterinário vai analisar o bichano e definir uma possível perda de peso e mudança de nutrição juntamente com as doses de insulina.

É importantíssimo sempre ter os exames em dia para a melhor definição de tratamento. Em muitos casos o gatinho consegue entrar em remissão clínica, que quer dizer que ele não precisaria mais das injeções e passaria a viver somente com hipoglicêmicos. O que não quer dizer que seja regra, cada caso é um caso. Por isso, o diagnóstico tem que ser preciso e o tratamento rápido, para dar o melhor resultado.

 

Mas como saber se meu gatinho está diabético? E como evitar?

 

Descobrir que seu bichano está doente não é uma tarefa muito fácil, pois gatos tem instinto de não mostrarem facilmente dor ou doenças. Para evitar descobrir a doença muito tarde, tenha sempre muito cuidado com a nutrição e o peso do seu bichinho. As pessoas tem costume de achar gatos gordos bonitos, mas o peso é uma grande ameaça à saúde do animal. Sempre controle o peso do seu gato de acordo com a estatura, principalmente se seu gato for de uma raça grande e pesada.

Entre os principais sintomas da diabetes felina está a necessidade de beber mais água do que o normal, e graças a isso acabam urinando muito mais do que o normal. Algo muito comum é a fome constante e sem ganho de peso, mesmo depois de ter comido muito. É crucial conhecer seu gato para saber se ele mudou seu comportamento com a comida e a água, pois são os primeiros sinais de diabetes.

Uma característica importante dos gatos é que quando estão doentes, costumam ficar quietinhos e letárgicos. Isso é um sintoma que serve para várias doenças além da diabetes, então, mesmo se seu gato não está apresentando os outros sintomas e estiver mais quieto que o normal, corra para o veterinário.

Em relação ao veterinário, é importante lembrar que, mesmo com um animalzinho saudável, é indispensável a ida ao veterinário no mínimo uma vez por ano, para exames de rotina. Ouça sempre o médico quando se trata de alimentação e exercícios diários do seu bichinho, para evitar tanto a diabetes, como outras doenças. A melhor maneira de evitar a diabetes em gatos é mantê-los saudáveis e ativos, sempre dispondo da melhor alimentação e muito carinho.



Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/gato/diabetes-gatos/

Categorias:
Alimentação para Gatos, Saúde do Gatos
Tags:
bichanos, cuidados, diabetes, doenças, felinas, felinos, gatos, pets, saúde

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 10.687), formado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Unesp com Pós Graduação em Oncologia Veterinária pelo Instituto Bioethicus e Pós Graduação em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais pelo Instituto Qualittas. Responsável pelo setor de Oncologia Médica e Cirúrgica do Hospital Veterinário Cães e Gatos 24h. Dr. Toyota é integrante da equipe de Veterinários do portal CachorroGato e também responde por dúvidas na ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados