Sarna Negra – Entenda as particularidades desta doença canina | CachorroGato

Sarna Negra – Entenda as particularidades desta doença canina

Saiba mais sobre a Sarna Negra e entenda suas principais causas, complicações e sintomas

A sarna é um problema bastante comum no mundo dos cachorros, e um de seus tipos pode trazer uma série de complicações pra a vida dos cães: a Sarna Negra, também conhecida como Sarna Demodécica. Mais frequente em animais novos e de raças determinadas, essa doença é causada por um tipo de ácaro chamado Demodex Canis e, ao contrário da sarna comum, não é contagiosa em animais adultos, mas sua transmissão pode ocorrer da mãe para os filhotes no momento da amamentação.

Podendo se manifestar em diferentes regiões do corpo de um cão, a Sarna Negra é uma doença adquirida de maneira hereditária – ou seja, para que um cachorro desenvolva a complicação, seu pai, sua mãe ou ambos também devem ser portadores do problema.

Sarna Negra

Tendo em vista que a predisposição genética é o principal fator que leva à Sarna Demodécica, fica claro que algumas raças em especial contam com chances maiores de desenvolver a doença ao longo da vida, incluindo nomes queridos como Dachshund, Dálmata e Pastor Alemão.

Embora necessite do fator hereditário para que se manifeste, a Sarna Negra também pode ter fatores externos como facilitadores do surgimento de sua forma ativa, e elementos como o estresse, a mudança brusca de hábitos, alimentação ou ambientes pode ter ligação direta com o aparecimento da doença nos cachorros. Confira, a seguir, as principais raças e condições que influenciam na manifestação da Sarna Demodécica em cachorros, além dos principais sintomas e possíveis tratamentos para a doença:

Agentes causadores e a manifestação da Sarna Negra

Leia Mais: 3 motivos por que meu cachorro está mancando

Conforme citado previamente, a Sarna Negra não é contagiosa para os animais nem para os seres humanos, sendo transmitida por fatores hereditários e, em muitos casos, por meio da amamentação do filhote com o leite de sua mãe doente. Bastante conhecida como Sarna Demodécica, essa doença também é chamada de Demodecicose, Sarna Folicular e Sarna Vermelha – sendo que em casos mais avançados e complicados, pode ser comparada até mesmo à lepra canina.

O ácaro tido como agente causador da doença - chamado de Demodex Canis – é um parasita que presente na pele dos animais de maneira bastante comum e, na maioria dos casos, completamente inofensiva – manifestando-se na forma de doença nos casos específicos em que há a herança genética e em raras situações onde o cão afetado não tenha nascido com alguma deficiência imunológica.

Embora não seja contagiosa, a Sarna Negra pode ser um fator que facilita o desenvolvimento de infecções secundárias – tanto nos animais como nos seres humanos – e, por isso, manter a higiene em dia (quando há contato com um cachorro afetado, principalmente, em momentos de crise) é fundamental para evitar o aparecimento de qualquer tipo de consequência.

Manifestando-se, na maioria das vezes, em cachorros de pouca idade, a Sarna Demodécica também tem fatores externos como responsáveis pelo seu desencadeamento, incluindo elementos como o estresse, a mudança brusca de ambiente ou alimentação, quedas na imunidade do animal, a presença repentina de novos animais no ambiente em que o cão habita, o cio e até o parto das cadelas.

Embora até hoje seja considerada uma doença hereditária, já foi descoberto que a manifestação do problema em cachorros é causada, na realidade, por uma deficiência do sistema imunológico dos cães (que desregula a produção dos linfócitos T); que é passada de pais para filhos e, por isso, é tida como uma complicação transmitida por meio da genética dos animais - e além da Sarna Negra, também pode ser responsável pelo aparecimento de várias outras doenças caninas.

Classificada em dois tipos distintos, a Sarna Negra pode ser localizada ou generalizada, conforme descrito abaixo:

  • Demodecicose Localizada Causa a queda de pelos em uma ou mais regiões do corpo do animal, deixando tais regiões com o aspecto avermelhado e escamoso. Face, focinhos e extremidades costumam ser as áreas mais afetadas nesse tipo de Sarna Negra, e o tratamento do problema é relativamente simples; tendo o uso de loções e pomadas especiais como principais recomendações.
  • Demodecicose Generalizada Bem mais grave que os casos localizados, a manifestação da Demodecicose Generalizada é de tratamento difícil e aparece, na maioria dos casos, em cães ainda bem jovens. A presença de inflamações e dermatites sérias é o principal sinal da complicação, afetando, principalmente, as áreas da cabeça, dos olhos e do peito do cachorro. Deixando a pele do animal com um aspecto envelhecido e provocando muita coceira após o inicio da dermatite secundária (gerada pela lesão cutânea), esse tipo da Sarna Demodécica – sendo que a sua evolução pode provocar, ainda, a falta de apetite do pet, o aparecimento de bolhas de pus em sua pele e a produção de odores fortes e desagradáveis, facilitando o aparecimento de novas infecções por fungos ou bactérias e podendo, inclusive, levar o animal à óbito.

Sarna negra pode ser passada de mãe para filhote

Raças com maior predisposição para a Sarna Demodécica

Entre as raças que contam com uma predisposição maior a desenvolver a Demodecicose, podemos citar nomes queridos como Pastor Alemão, Dachshund, Pinscher, Bulldog Inglês, Buldogue Francês, Yorkshire, Cocker Spaniel, Boxer, Dálmata, Bull Terrier, Pit Bull, Shar Pei, Dobermann, Collie, Afghan Hound, Pointer e Pug.

Tratamento da Sarna Demodécica

Tendo em vista que os próprios sinais da doença já são suficientemente claros para que um diagnóstico preciso seja feito por um profissional – necessitando de um exame clínico detalhado e um raspado de pele – resta saber quais são os tipos de tratamento usados para buscar a cura desta doença nos dias de hoje. Conforme citado anteriormente, nos casos de Sarna Demodécica Localizada, o uso de medicamentos tópicos pode ser uma boa e eficiente opção, sendo que opções de loção e spot-on são as mais populares da atualidade.

No tratamento feito com loções, o mais comum é que haja uma espécie de xampu junto com a medicação, que deve ser usado antes da aplicação do remédio como uma forma de preparar a pele do animal para o medicamento, que é aplicado em seguida. No caso do uso dos remédios conhecidos como spot-on (na tradução, “no ponto”), os medicamentos chegam com aplicadores especiais, que permitem sua administração nos locais exatos do problema ou na nuca do animal, dependendo do produto.

Medicamentos em forma de comprimidos e a administração de remédios diretamente na corrente sanguínea do animal também são opções válidas e muito eficazes para os casos mais graves do problema. Nos casos em que há infecções secundárias, ainda mais medicações podem ser receitadas, juntamente com o tratamento que tem a Demodecicose como foco.

Banhos especiais, pulverizações e o uso de coleiras dermatológicas também podem ser indicados como parte do tratamento, sendo que a piodermite (infecção que pode causar o aparecimento de bolhas de pus na extensão da pele do cão) é a primeira complicação a ser tratada nos casos de Sarna Negra. 

Durando cerca de 2 a 3 meses, esse tipo de tratamento só pode ser indicado por um veterinário, e só deve ser interrompido com a sua indicação – que, geralmente, é feita após o teste de raspagem de pele do animal (que deve ter resultado negativo por três vezes seguidas até que o pet possa ser liberado das medicações).

Vale a pena ressaltar que somente um médico veterinário terá a capacidade de rescrever o tratamento ideal para um cão afetado pela doença, e medicar p seu pet por conta própria pode ser algo extremamente prejudicial para o animal (piorando ainda mais o nível e o desenvolvimento da doença).

Portanto, ao notar o aparecimento de sinais que possam indicar a Sarna Negra no seu bichinho de estimação (seja ela localizada ou generalizada), não deixe de leva-lo o mais rápido possível para uma consulta com um profissional; podendo iniciar um tratamento de maneira rápida e com muito mais chances de bons resultados. 

Sarna Demodécica

Cuidados especiais com a Sarna Negra

Como explicado, embora não haja uma forma concreta de prevenir o surgimento desta doença, há formas de impedir que ela se propague ainda mais, e basta que os donos de pets com o problema fiquem atentos aos fatores a seguir para ajudar a controlar a população de animais afetados por este terrível e incômodo problema:

  • Castrar cadelas com o problema pode ajudar a impedir  aumento da população de cachorros com a complicação.
  • Evitar o acasalamento de cães que sofrem com a doença também é uma boa formas de impedir a propagação da Sarna Negra.
  • Os cachorros que manifestam a Sarna Demodécica quando idosos ou adultos devem ser examinados de maneira mais detalhada, para que seja descoberta a presença de outras doenças, caso existam.

 



Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/sarna-negra/

Categorias:
Saúde do Cachorro
Tags:
demodecicose sarna em cães, doença canina, sarna demodécica, sarna negra

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados