5 Etapas do Pedigree para Cachorros

Saiba o que é e como funciona o processo de registro de cães de raça pura por meio do certificado de Pedigree

Muito é falado sobre pedigree no mundo dos cães e gatos, no entanto, a grande maioria do público que se interessa por este mundo não sabe exatamente quais são as condições e processos pelos quais um animal deve passar para receber este título. Em resumo, o certificado de Pedigree indica as principais características de um animal doméstico de acordo com uma padronização específica de raça, mostrando a ascendência do animal até sua terceira geração e classificando-o como um pet de raça pura.

Não é qualquer animal que pode receber este tipo de certificado, tendo em vista que o pedigree é conferido, apenas, para os animais que passam por todo esse processo detalhado e não são fruto de nenhum tipo de mistura entre raças diferentes – algo extremamente comum nos dias de hoje.


pedigree


Leia Mais: Equipamentos veterinários - Encontre todos os tipos e fornecedores

Para exemplificar melhor o quão específicas devem ser as características do animal que busca esse certificado, basta lembrar o grande número de criadores especiais presentes no Brasil e em todo o mundo nos dias de hoje; que se dedicam, exclusivamente, à reprodução de raças puras, mesmo que para isso, em boa parte dos casos, tenham que trazer exemplares de outras regiões e países.

Atualmente, o País conta com apenas um órgão que emite esse tipo de certificado e é reconhecido mundialmente, conhecido como CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia). Por meio da avaliação feita pela entidade, o animal em questão deve atender a diversos tipos de características específicas para que possa ser considerado portador de pedigree, incluindo fatores como pelagem, cor, tamanho e peso, entre outras.

A SOBRACI – Sociedade Brasileira de Cinofilia, também emite o registro de pedigree no Brasil e, embora este seja considerado um dos registros mais completos de raça pura em relação ao número de informações, ele não é válido de fato, já que não tem reconhecimento fora do Brasil.

Além de atestar a raça pura de um pet, o certificado de pedigree também inclui a árvore genealógica do animal até, pelo menos, seus bisavós; apresentando, ainda, os diversos títulos e campeonatos que possam ter sido vencidos durante suas vidas. Os donos do pet em questão também são registrados como proprietários dos animais nesse registro especial. Conheça, neste artigo, os principais fatores necessários para que seu pet de raça pura possa retirar o seu registro de Pedigree.

 

As regras do Pedigree

 

De acordo com a Confederação Brasileira de Cinofilia, o certificado de Pedigree é concedido aos animais que atendem às características padrão de sua raça e, portanto, devem ser filhotes de outros cães que também possuam o certificado. O registro pode ser requisitado, principalmente, por meio de clubes filiados à CBKC – que recebem o pedido dos canis que comercializam o pet e o encaminham para a autorização da confederação.

No portal da entidade, há uma enorme listas das raças reconhecidas no Brasil e no mundo, onde são especificados os principais atributos de cada uma delas, incluindo aparência, personalidade, textura da pelagem, características corporais (padrões de cabeça, pescoço, peito, cauda, membros e etc), altura, peso, cor, pele e, ainda, que tipo de faltas e desvios do padrão podem eliminar ou penalizar o animal que busca o certificado de raça pura.

pedigree-caes


Nem todas as raças podem receber o certificado, já que muitas delas não fazem parte da lista oficial da CBCK. No entanto, há, hoje, cerca de 350 raças reconhecidas mundialmente, e as mais conhecidas pelo público geral já fazem parte desse pacote, como Pastor Alemão, Boxer, Bulldog, Dobermann, Fila Brasileiro e Rottweiller, entre outras.


O pedido do certificado é quase sempre feito pelo canil que comercializa os filhotes de raça pura e, para que este processo seja iniciado e você possa receber o registro de pedigree de seu cão, é necessário:


  • Que o registro de filhotes de raça pura seja feito até 90 dias após o nascimento da ninhada (após esse período quem pede o registro deve pagar uma multa)
  • Que se tenha em mãos: 1) Uma cópia do Pedigree da mãe e do pai do filhote e 2) O mapa da ninhada (ou informações do filhote em questão) com nome, sexo, cor, dados do canil e dos pais do animal, além da assinatura dos donos dos cães envolvidos na reprodução;
  • Que os documentos devidamente preenchidos sejam entregues ao clube filiado da cidade em que vive o filhote (onde será dada a entrada do pedido de pedigree e serão pagas as taxas referentes ao processo);
  • Que toda a documentação seja encaminhada à CBKC – que tem sede no Rio de Janeiro – para que seja devidamente conferida e, então, possam ser fornecidos um número de RG para o cão e o seu certificado de Pedigree.
  • Feito isso, será o clube filiado que receberá o registro, e caberá a ele enviar ao dono do cão o certificado e toda a documentação pronta.


Além do registro de pedigree, a CBKC também concede atestados em diferentes categorias complementares para os que atuam com cães de raça pura, incluindo certificados para criação, exposição, arbitragem e registro genealógico, entre outros.


A importância do pedigree


Além de garantir a pureza da raça de seu cão, o registro de Pedigree possibilita que seu pet possa ser usado para a reprodução de filhotes puros e é necessário para que o animal possa participar de qualquer tipo de exposição ou competição oficial de animais na Confederação Brasileira de Cinofilia.

Funcionando como um “certificado de garantia”, o pedigree também garante que o dono do animal em questão tenha, de antemão, uma série de informações mais detalhadas sobre o filhote, que terá menos chances de apresentar mudanças de comportamento, aparência e possíveis deficiências físicas ao longo da vida - em relação aos animais que são fruto da mistura de raças.


pedigree-cachorros


No Brasil, o certificado já é tido, hoje, como sinônimo de um preço mais alto de compra do animal, tendo em vista que nem todos os cães de raça pura são certificados. Este motivo acaba sendo, ainda, um fator que contribui para o pequeno número de registros de pedigree no Brasil, tendo em vista que boa parte dos donos que adquirem pets de raça pura – e não pretendem participar de competições ou exposições - preferem não ter o registro a ter que pagar um valor muito mais alto além do próprio filhote para garantir o documento.

Para se ter uma ideia do quão menor é o número de cerificados emitidos por aqui, basta citar que a média anual de registros de pedigree no Brasil gira em torno de 90 mil, enquanto, nos Estados Unidos, esse número atinge cerca de 1.450 milhão ao ano.


O reconhecimento do pedigree


Há muitas dúvidas entre os que buscam um certificado de pedigree para seu cão em relação ao reconhecimento do certificado em nível internacional. Sendo a CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia) e a SOBRACI (Sociedade Brasileira de Cinofilia) as entidades mais conhecidas no Brasil, a dúvida fica ainda maior, já que muitos donos não sabem se podem confiar na validade dos registros de ambas.

Para esclarecer esta questão – que tem como conclusão o fato de que somente o certificado de pedigree da CBKC é aceito em todo o mundo - explicamos a origem das entidades e os principais fatores que as diferenciam.

Criada em 1911 numa parceria entre Bélgica, Alemanha, Países Baixos, Áustria e França, a FCI (Federação Cinológica Internacional) é a principal entidade mundial responsável pelo reconhecimento e padronização de raças e certificados de pedigree. Reconhecida internacionalmente, a FCI – com sede na Bélgica - é a única capaz de intercambiar documentos de cães entre os diversos Kennel Clubs do mundo (os clubes filiados).

Sendo a Confederação Brasileira de Cinofilia a única entidade brasileira reconhecidamente filiada à Federção Cinológica Internacional, fica claro que apenas a CBKC é capaz de emitir documentos de pedigree com validade mundial.

A Sociedade Brasileira de Cinofilia também se diz filiada à FCI, no entanto, neste caso, a sigla tem o significado de Federação Canina Internacional (entidade espanhola) que, assim como a SOBRACI, é autônoma, e não reconhecida em todo o mundo – o que impossibilita a garantia internacional da validade de seus certificados.

Embora os certificados da SOBRACI contem com ainda mais informações que os registros de pedigree emitidos pela CBKC (incluindo os dados de até quatro gerações caninas e até uma “impressão digital” do filhote) eles podem não ser aceitos para que seu pet seja cadastrado nos variados tipos de competição e exposição canina internacionais.

Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/pedigree/

Sugira novo tema para um artigo
Categorias:
Curiosidades sobre Cães
Tags:
cachorros, cães, cão, certificado, pedigree, pets, raças

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados