Osteossarcoma em cães - Causas, sintomas e tratamento | CachorroGato

Osteossarcoma em cães - Causas, sintomas e tratamento

Saiba as causas e sintomas do osteossarcoma em cães, e descubra os principais meios de tratar a doença

Embora seja um nome desconhecido para muitos, o osteossarcoma em cães é um problema relativamente comum no mundo animal, e que impulsiona cada vez mais estudos e pesquisas por parte dos profissionais da oncologia veterinária – sempre em busca das melhores soluções para garantir a sobrevivência e o bem estar dos cães afetados por este mal.

Consistindo em um câncer ósseo, o osteossarcoma em cães é a ocorrência mais normal desse tipo de tumor maligno ósseo, sendo caracterizado por prejudicar diferentes regiões e órgãos do corpo do animal de maneira bastante agressiva e dolorosa. Assim como no caso de outras doenças oncológicas caninas, esta também conta com um grupo de raças específicas que são mais propensas a desenvolver o problema ao longo da vida, conforme explicaremos ao longo do artigo.

Osteossarcoma em cães

Destacando uma incidência maior em macho e que pesam mais de 25 quilos, a doença, na maioria dos casos, começa a se desenvolver na região dos joelhos e cotovelos dos cães e, embora possa afetar animais de todas as idades, é mais frequente em cachorros adultos e idosos.

Além de danificar com potência os ossos dos cães afetados, o osteossarcomaé uma doença que frequentemente causa metástases (propagação de tumores cancerígenos para diferentes e afastadas áreas do corpo), sendo o pulmão oórgão mais afetado nesse tipo de circunstância. Conheça, a seguir, um pouco mais sobre as causas, sintomas e tratamentos do osteossarcoma canino, e aprenda a identificar o problema nos animais – garantindo ainda mais cuidados e atenção ao seu bichinho de estimação:

Causas e complicações do osteossarcoma em cães

Leia Mais: 3 motivos por que meu cachorro está mancando

Embora não haja motivos completamente definidos para o surgimento do osteossarcoma em cães, acredita-se que possa haver uma predisposição especial por parte do animal a desenvolver a doença (conforme é observado em algumas raças específicas), sendo que a grande maioria dos afetados faz parte do grupo de raças classificadas como grandes ou gigantes - sendo o porte e o peso destes animais uma das possíveis causas para o aparecimento do problema.

Também chamada de Sarcoma Osteogênico, a doença é relatada com mais frequência em cachorros das raças Rottweiler, Golden Retriever, Dobermann Pinscher, Boxer, Weimaraner, Greyhound, Labrador Retriever, Terra Nova, São Bernardo, IrishWolfhound, Pastor Alemão, Dogue Alemão, Bernese Mountain e Cão de Montanha dos Pirinéus – além dos cães de grande porte que pesam acima de 25 quilos.

No entanto, não é por ser mais comum em raças de grande porte que o problema não possa se manifestar, também, em raças pequeninas e; embora esse tipo de ocorrência seja um tanto raro, a possibilidade de o osteossarcoma afetar cães de pequeno porte não é descartada – sendo que, além dos cães, a doença também pode ser uma complicação presente na vida dos felinos.

Afetando, em um primeiro momento, os ossos que mais servem de suporte para os animais (como os da região dos joelhos e cotovelos), este câncer causa uma metástase de maneira extremamente rápida – fazendo com que muitos dos cães, ainda no momento do diagnóstico, já tenham chances baixas de sobrevida em função disso.

Provocando dores, inchaço e mais uma série de fatores extremamente desconfortáveis e sofridos para os cachorros, o osteossarcoma se manifesta primeiro nas áreas ligadas ao fêmur, rádio, úmero e tíbia; podendo aparecer, ainda, na região do esqueleto axial, das costelas, vértebras, pelve e até crânio dos cães.

Osteossarcoma canino

Principais sintomas do osteossarcoma canino

As patas dianteiras são, na maioria das vezes, os primeiros locais a sofrer com as consequências do osteossarcoma canino; sendo que um dos primeiros sinais a aparecer nas regiões afetadas é a falta de circulação arterial (claudicação nos membros inferiores). Dores fortes e inchaços significativos também podem ser notados com certa rapidez, já que o crescimento do tumor provoca um aumento considerável do volumeda área.

Os cães passam a andar mancando e uma série de fraturas espontâneas (ou em função de lesões simples) pode ocorrer nos membros mais severamente prejudicados pela doença, sendo que a inflamação dos tecidos da região também é um fator presente nos casos do problema. Sentindo muita dor, os cachorros comprometidos pelos tumores ósseos podem passara a apresentar ainda mais sintomas, como falta de apetite, perda rápida de peso, choro e um alto nível de irritabilidade.

Mesmo com este grande conjunto de sintomas físicos (e em quase 100% dos casos, perceptíveis), boa parte dos donos de pet podem acabar ignorando a existência de um problema mais sério, considerando os sinais como o resultado de alguma fratura mais simples.

Mas tendo em vista que esse tipo de câncer é extremamente devastador e responsável por metástases velozes e agressivas, fica claro que, ao notar qualquer tipo de sintoma parecido no seu pet, é necessário levar o animal para uma consulta com um profissional veterinário – a fim de alcançar um diagnóstico preciso e poder iniciar um tratamento da forma mais rápida possível.

Diagnóstico do osteossarcoma canino

Conforme explicado anteriormente, é preciso que o pet afetado pela doença seja encaminhado de maneira rápida à um médico veterinário; que poderá realizar exames precisos para descobrir a origem do problema.

Exames clínicos, ortopédicos e raios-X da região afetada estão entre os principais meios de definir um quadro específico do osteossarcoma em cães e, confirmada a porção maligna do tumor, biópsias são realizadas. Embora a aparência dos membros de muitos animais com o problema já possa dar uma boa ideia em relação ao tipo de doença que o afeta, exames laboratoriais são requisitados em quase 100% dos casos para que o quadro seja confirmado – evitando uma pequena, mas importante, margem de erro que pode acabar prejudicando o animal.

Conforme exposto previamente, em boa parte dos casos, já há a presença de metástase no animal quando o diagnóstico é definido, e este é um fator determinante nas condições de cura e sobrevivência do animal – pois, nestes casos, o tratamento por meio de procedimento cirúrgico garante uma média de apenas 6 meses de sobrevida para o animal. 

Além disso, o profissional veterinário também deverá considerar todas as possibilidades que uma cirurgia envolve – já que há a possibilidade de o procedimento ser responsável por causar ainda mais fraturas e complicações para o cão afetado.

Osteossarcoma em cachorros

Tratamento do osteossarcoma em cães

De acordo com o que foi descrito acima, o procedimento cirúrgico é o principal meio de tratamento para o osteossarcoma em cachorros, sendo que em boa parte dos casos, a amputação do membro afetado é a opção adotada para prolongar a vida do animal e tentar algum tipo de cura para o problema (embora a cura completa seja algo extremamente difícil de ser atingido).

Cirurgias que tem a retirada da porção cancerosa do animal como objetivo – preservando o membro afetado – também são comuns nos casos da doença. No entanto, uma série de outros tratamentos simultâneos também pode ser indicada para tentar garantir a melhora do cão, incluindo processos como quimioterapia e radioterapia, conforme descrito abaixo:

  • Quimioterapia Aumentando bastante as chances de sobrevida dos cães com osteossarcoma, a quimioterapia pode chegar a dobrar a expectativa de vida dos animais após o procedimento cirúrgico – passando de cerca de 6 meses de sobrevida para até cerca de um ano. Assim como no caso dos seres humanos que passam por este tipo de tratamento, alguns sintomas desconfortáveis podem ocorrer após as sessões dessa terapia, incluindo enjoos, vômitos, diarreia e até mesmo o desenvolvimento de algumas infecções – e isso ocorre em função do efeito que esse tratamento tem entre os que o recebem.

 

Sendo o seu objetivo principal a exclusão de todas as células de crescimento rápido (como as cancerosas), a quimioterapia não faz distinção entre elas - eliminando, também, glóbulos brancos, células de revestimento do estômago e do intestino (causando os famosos sintomas desconfortáveis do processo).

  • Radioterapia Sem a capacidade de chegar às metástases e eliminá-las, a radioterapia é indicada apenas para o controle da dor dos animais com osteossarcoma canino, e não garante um tempo maior de sobrevida aos cães que recebem o tratamento. Na maioria dos casos, esse tipo de indicação é dado pelos profissionais veterinários quando o processo cirúrgico não é realizado como parte do tratamento do animal doente; sendo uma medida que busca, principalmente, oferecer conforto.

Além disso, medicamentos analgésicos também são receitados aos animais que sofrem com o osteossarcoma canino, ajudando-os a sofrer um pouco menos com os sintomas do problema e, consequentemente, levar uma vida com mais qualidade e bem-estar.



Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/osteossarcoma-caes/

Categorias:
Saúde do Cachorro
Tags:
Câncer em cães, oncologia veterinária, osteossarcoma, osteossarcoma canino, osteossarcoma em cães

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 10.687), formado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Unesp com Pós Graduação em Oncologia Veterinária pelo Instituto Bioethicus e Pós Graduação em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais pelo Instituto Qualittas. Responsável pelo setor de Oncologia Médica e Cirúrgica do Hospital Veterinário Cães e Gatos 24h. Dr. Toyota é integrante da equipe de Veterinários do portal CachorroGato e também responde por dúvidas na ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados