Ortopedista veterinário é indicado para casos de fratura ou luxação | CachorroGato

Ortopedista veterinário é indicado para casos de fratura ou luxação

Conheça o trabalho do ortopedista veterinário e saiba de que maneira, com os avanços da ortopedia para cães e gatos, ele pode ajudar a resolver uma série de problemas que afetam o bem-estar do seu pet

Assim como no mundo da medicina humana, o ortopedista veterinário é um especialista amplamente requisitado no mundo dos animais de estimação; sendo capaz de auxiliar e tratar animais com as mais variadas complicações, patologias ou fraturas em ossos, rupturas de ligamentos, degenerações em articulações ou músculos.

Levando em conta que boa parte dos acidentes com cães e gatos resultam em patas quebradas ou luxações diversas, fica fácil entender a importância e a grande demanda em torno do ortopedista veterinário; já que é este especialista – e outros profissionais veterinários – que irá analisar, diagnosticar e tratar problemas dos mais corriqueiros aos mais evoluídos relacionados à esta especialidade.

Embora os traumas em função de quedas ou torções sejam, muito provavelmente, os principais responsáveis pela ida de cães e gatos à este especialista; também há outros problemas congênitos (de nascença) que podem ter solução nas mãos de um ortopedista veterinário, incluindo complicações de incidência relativamente grande no mundo canino, como a displasia coxofemoral, luxação de patela e hérnia de disco.

 Com os avanços da tecnologia na medicina humana e veterinária, estes especialistas já podem, atualmente, contar com o auxílio de uma série de ferramentas que até certo tempo atrás não existiam no mundo da medicina animal; incluindo radiografias, raios-x digitais, ressonâncias magnéticas e até tomografias computadorizadas – possibilitando a definição de diagnósticos mais completos e concretos, que podem ajudar muito na escolha por um tipo específico de tratamento e, consequentemente, na recuperação total do animal.

Atuando, principalmente, no que se refere a promover a mobilidade completa e sem empecilhos para cães e gatos (entre outros animais), o ortopedista veterinário é uma das mais poderosas ferramentas entre os profissionais especializados do mundo da medicina animal. Confira, a seguir, como funciona o trabalho destes importantes profissionais e de que maneira ele ajuda a manter o bem-estar e a qualidade de vida de bichinhos de estimação dos mais variados portes, raças e personalidades.

Leia Mais: Primeiros socorros em caso de reação alérgica em cães e gatos

Ortopedia veterinária em prática

Conforme citado anteriormente, tanto a tecnologia como muitas das especialidades da medicina veterinária começaram a se destacar apenas ao longo dos últimos 15 anos – evoluindo muito desde então e promovendo, hoje, um atendimento completamente personalizado e focado no problema enfrentado pelos pacientes.

Como já é de sabedoria popular, boa parte dos acidentes e ocorrências envolvendo animais domésticos como cães ou gatos são gerados em função de acontecimentos corriqueiros, como quedas e batidas, por exemplo – e que, embora não sejam suficientemente graves para levar o animal à morte, podem gerar alterações permanentes em sua estrutura, comprometendo para sempre a mobilidade e, consequentemente, o nível de bem-estar do pet em questão.

E justamente nesse tipo de caso (além de muitos outros) que mais atua o profissional ortopedista veterinário; que cuida de todo tipo de lesão, fratura ou luxação que possa debilitar os ossos, as articulações, a musculatura e os ligamentos de cães e gatos.

Embora, de uma maneira geral, as pessoas acreditem que as patas e os ossos costumem ser as porções mais afetadas nos casos de queda ou batidas fortes; há muitos casos em que, além da estrutura óssea, um acidente possa causar estragos nas articulações, ligamentos e musculatura do animal – e cabe ao profissional ortopedista fazer uma avaliação minuciosa em  busca de possíveis complicações que não possam ser notadas à olho nu, garantindo a integridade física do animal e a sua recuperação por completo.

Para que isso ocorra, cada vez mais empresas e empreendimentos do setor pet já abrem suas portas para que profissionais do ramo possam fazer cursos ainda mais aprofundados de especialização em ortopedia veterinária – sendo que muitos deles contam com aulas práticas, onde o aluno pode ficar frente a frente com casos reais e tanto acompanhar como ajudar na avaliação do caso específico de um paciente; ganhando mais experiência e compreendendo melhor sobre os variados tipos de doenças, acidentes e quadros que podem influenciar e prejudicar a mobilidade e a qualidade de vida de um animal doméstico.

Ajudando ainda mais a tratar os animais com problemas ortopédicos, os equipamentos que realizam exames de imagem também são poderosas ferramentas da ortopedia veterinária; permitindo que todas as regiões englobadas por esta especialidade sejam analisadas e investigadas de maneira clara e precisa por meio de procedimentos não-invasivos nos animais.

Conforme citado na introdução deste artigo, as radiografias tradicionais, os raios-x digitais, as ressonâncias magnéticas e as tomografias computadorizadas são alguns dos mais importantes e valiosos exames para promover diagnósticos certeiros no mundo da ortopedia animal – possibilitando a visualização plena de articulações, ligamentos e estrutura óssea dos pacientes e, desta forma, ampliando as chances de um tratamento eficiente e que possa curar o animal por completo, necessitando ou não de uma cirurgia ortopédica.

Animais com propensão para problemas ortopédicos

Embora todos os cães e gatos contem com certa probabilidade de, em algum ponto da vida, sofrer com uma fratura (já que, em muitos casos, são extremamente agitados e brincalhões; praticando atividades onde os acidentes podem ser um tanto frequentes), há algumas características que podem aumentar bastante os riscos do aparecimento de complicações ortopédicas na vida de um animal.

No mundo canino essas características são bastante claras, e tanto o porte como a raça e a idade dos cachorros já pode indicar uma chance maior de que o animal enfrente uma complicação ortopédica. No caos de cães de grande porte, por exemplo, como os das raças Rotweiller, Pastor Alemão, Golden Retriever, Dogue Alemão e Labrador Retriever; a displasia coxofemoral é uma possibilidade real, principalmente, em função do tamanho avantajado – que propicia o desenvolvimento de problemas na região dos quadris.

Enquanto os cachorrões temem a displasia, os cachorrinhos de pequeno porte de raças como Poodle, Maltês, Pinscher, Lhasa Apso e Yorkshire já contam com uma probabilidade maior de luxações na patela e necrose asséptica da cabeça do fêmur; sendo que o desconforto na região dos joelhos de animais com tais características costuma ser bastante frequente, mesmo que o animal ainda seja jovem. No caso dos pequeninos de corpo alongado, como os cães da raça Dachshund, problemas relacionados à hérnia de discos são mais comuns; justamente em função do longo comprimento de suas colunas.

Por fim, independentemente do porte ou da raça, qualquer cachorro ou gato de idade avançada ou peso acima do indicado também pode ser tronar um paciente da ortopedia veterinária – já que a idade pode comprometer bastante a resistência das estruturas do animal; assim como a obesidade, que pode tanto facilitar acidentes como a perda de mobilidade do pet.

Principais complicações tratadas pela ortopedia veterinária

Conforme descrito ao longo do texto, há um grupo de complicações considerado entre os mais comuns no mundo da ortopedia veterinária (e que podem necessitar, ou não, de uma cirurgia ortopédica para serem solucionados), considerados entre os mais temidos dos donos de pets em busca de bem-estar e qualidade de vida para seus bichinhos de estimação. Saiba quais são eles, a seguir:

  • Displasia coxo-femoral e de cotovelo Estes problemas congênitos ou adquiridoscostumam afetar mais os cães de grande porte, causando grande dificuldade de locomoção e dor ao animal; podendo ser amenizados e tratados pelos profissionais da especialidade (por meio de cirurgias ortopédicas, em grande parte dos casos)
  • Artrose ou artrites O envelhecimento do animal provoca uma série de mudanças nas suas estruturas; prejudicando, principalmente, a degeneração de suas articulações – fator que aumenta as chances de traumas, entre outros problemas ortopédicos.
  • Hérnia de disco Problemas sérios de coluna como o da hérnia de disco - que causa dores agudas e a impossibilidade do animal em se locomover de maneira normal; afetando, até mesmo, seu apetite e o ato de urinar e defecar - são tratadas por meio de cirurgias ortopédicas de coluna.
  • Luxação patelar A luxação da patela do joelho do animal também costuma ser tratada por meio de uma cirurgia ortopédica o mais breve possível após seu diagnóstico, obtendo resultados bastante positivos – podendo, ainda, ser tratado de maneira clínica quando detectado com pouca gravidade.
  • Ruptura de ligamento cruzado cranial Geralmente causadas por trauma, excesso de força sobre a articulação do joelho ou pela obesidade, rupturas de ligamento também são tratadas com cirurgias, na maioria dos casos; sendo que, assim como nos demais casos que requerem procedimentos cirúrgicos, necessita do apoio de sessões de fisioterapia veterinária no período pós-operatório (e no pré-operatório também, dependendo do caso).
  • Fraturas Quedas, batidas, brigas entre animais, atropelamentos e mais uma série de pequenos acidentes podem causar fraturas e traumas maiores nos animais; podendo resultar em torções e ossos quebrados, entre outras complicações de responsabilidade do ortopedista veterinário.

Vale lembrar que há uma série de sinais típicos que podem ser notados nos animais com algum tipo de problema ortopédico, e é preciso ficar atento ao seu pet para identificar sintomas como:

  • Dificuldade em andar
  • Andar manco (claudicação)
  • Dificuldade para levantar ou deitar
  • Dor ou choro ao se mover
  • Evitar apoiar ou usar um membro específico ao se mexer
  • Lamber ou morder com frequência um membro específico
  • Evitar se mexer ou passar muito tempo na mesma posição
  • Aumento de volume ao redor dos ossos
  • Falta de apetite
  • Dificuldade para defecar ou urinar



Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/ortopedista-veterinario/

Categorias:
Saúde do Cachorro, Saúde do Gatos
Tags:
fratura, luxação, ortopedia, ortopedista, ortopedista veterinário, veterinário

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados