Mordida de Cachorro - Como proceder ao ser mordido por um cão?

Conheça os problemas que podem ocorrer em função de uma mordida de cachorro e saiba como agir

Embora muitos cães sejam dóceis e calmos, a mordida de cachorro é sempre uma possibilidade quando entramos em contato com um animal desconhecido, já que, mesmo os pets mais carinhosos podem ter uma reação desse tipo quando se sentem ameaçados ou em situação de perigo.

Temida por muitos - especialmente por carteiros, que são frequentemente perseguidos por cães durante seu trabalho - a mordida de cachorro pode causar ferimentos e doenças sérias como a raiva e outras zoonoses, devendo ser bem observada e tratada imediatamente na sua ocorrência.

Em alguns casos, mesmo as mordidas que os cães dão como uma brincadeira podem acabar ferindo adultos e crianças; e a situação é ainda mais complicada quando a raça do animal está entre as consideradas mais agressivas ou de maior força de mordida – como no caso dos Pitbulls, cuja potência de uma simples abocanhada pode atingir uma pressão de até 200 quilos.

mordida-cachorro

Mesmo a mordida de cães vacinados contra as zoonoses mais comuns podem causar problemas que vão muito além de simples machucados, já que a saliva do animal pode contar com uma grande variedade de bactérias que, quando passadas para uma ferida aberta, podem ser bastante prejudiciais à saúde dos seres humanos – assim como de outros animais – causando infecções e diversos tipos de danos aos tecidos da pele.

Leia Mais: Como socorrer o seu pet em casos de ingestão de corpos estranhos

Conheça, a seguir, que tipos de ferimentos e problemas podem ser causados pelas mordidas de cães, e saiba como limpar e tratar os machucados desse tipo para ficar livre de maiores complicações.

 

Por que os cães mordem

 

Os motivos que levam um cahorro a morder alguém podem ser muito variados e, portanto, todo cuidado é pouco quando se entra em contato com cães desconhecidos. No caso de filhotes, por exemplo, as mordidas caninas raramente ocorrem porque o animal quer realmente atacar ou machucar alguém e, na maioria das vezes, o pet só quer brincar e interagir.

No entanto, mesmo essas pequenas abocanhadas de filhotes já podem causar ferimentos importantes nas pessoas, e quem é dono de um cãozinho deve buscar métodos para que esse tipo de comportamento seja controlado o mais rápido possível, evitando que isso se torne um hábito do animal na sua fase adulta.

O sentimento de perigo iminente e de ameaças também é um fator que comunmente desencadeia a agressividade de cachorros mais atentos ou protetores; que podem acabar mordendo pessoas desconhecidas para proteger o seu dono ou a si mesmos.

Casos de gravidez (mesmo quando psicológicas) em cadelas também fazem parte da lista dos fatores que aumentam a ocorrência de mordidas, e nem mesmo os donos da fêmea em questão estão livres desse tipo de agressão – já que, quando as cachorrinhas têm suas crias, o nível de proteção e de cuidados em relação aos filhotes são os maiores possíveis, e não é difícil que a pet ataque quem quer que seja que se aproxime da ninhada.

 

Tipos de mordida de cães

 

As mordidas de cães podem causar ferimentos de dois tipos principais - penetração e laceração - sendo que cada um deles pode pedir diferentes formas de tratamento. As mordidas que geram ferimentos por penetração são as que mais facilitam a infecção por bactérias no ser humano, pois, ao cravar seus dentes na pele da pessoa, o cão deixa dentro da ferida uma amostra de sua saliva.

Cheia de saliva, a ferida profunda, quente e sem ar se torna o local perfeito para a proliferação de bactérias, agravando ainda mais o risco de infecções – principalmente quando o ferimento causa inchaços, que dificultam bastante a limpeza e desinfecção da região atingida.

No caso das lacerações – que acontecem quando o cão morde e rasga a pele da vítima – a limpeza é realizada mais facilmente. No entanto, cicatrizes são comuns nesse tipo de mordida, e a desinfecção da região deve ser feita imediatamente após a ocorrência, já que as bactérias da saliva do animal também entram em contato com as mucosas dos humanos nestes casos, podendo causar infecções e a contaminação da pessoa por zoonoses.

mordida-cachorro-o-que-fazer

 

Complicações da mordida de cachorro

 

Além das infecções bacterianas (que podem ter diferentes níveis de gravidade), a mordida de cachorro também pode ser responsável pela transmissão de uma série de zoonoses para os humanos; sendo a raiva uma das mais perigosas e conhecidas doenças desse tipo. Altamente contagiosa, a doença – quando transmitida para seres humanos – invade os nervos periféricos e o sistema nervoso central e, se não for tratada prontamente por meio de vacinas específicas, pode levar à morte.

Doenças como sarna, leishmaniose e até a leptospirose também fazem parte da lista de complicações que podem ocorrer em função da mordida de cães, e é por isso que o atendimento imediato é tão importante após uma ocorrência deste tipo – evitando o desenvolvimento de tais complicações no corpo dos seres humanos.

Além das zoonoses, diferentes reações podem ocorrer nas pessoas que são abocanhadas por cachorros e há, inclusive, casos registrados de pessoas que entraram em coma e tiveram que ter alguns de seus membros amputados em função de um ferimento causado por uma mordida - aparentemente “sem importância” - de um pet doméstico.

 

Como limpar e tratar uma mordida de cachorro

 

Fundamentalmente, quem é ferido por uma mordida de cão deve procurar o hospital mais próximo para saber como proceder no tratamento de seus machucados. No entanto, alguns cuidados básicos (que devem ser tomados, imediatamente, após a mordida) são imprescindíveis pra que as consequências desse tipo de acidente sejam as menores possíveis – tendo em vista que, mesmo no pouco tempo em que o paciente aguarda pelo atendimento médico, as bactérias da ferida já podem se alastrar bastante.

Lavar o local afetado com muita água e sabão é a primeira providência a ser tomada após levar uma mordida, pois, isso pode impedir que as bactérias da saliva do cão se espalhem, evitando o aparecimento de complicações piores.

Nos casos de lacerações por mordidas de cães, o fluxo de sangue do machucado, na maioria das vezes, é muito intenso, e uma grande pressão deve ser aplicada no local para que o sangramento cesse; enquanto, nos casos de perfuração, é altamente indicado que a vítima deixe que a ferida sangre por algum tempo, já que isso também ajuda com que as bactérias sejam expelidas da região.

Feito isso, é recomendado que o ferimento seja limpo com um anti-bacteriano durante (pelo menos) cinco minutos ininterruptos; e que água em abundância seja aplicada sobre o machucado durante os cinco minutos seguintes. Terminado esse processo, uma gaze ou uma toalha de papel deve ser colocada sobre a ferida, deixando-a protegida até que a vítima possa receber atendimento médico.

Compressas de gelo também podem ser úteis para evitar o inchaço de mordidas por penetração e, caso a vítima tenha acesso a Peróxido de Hidrogénio (popularmente conhecido como água oxigenada), também é indicado que o líquido seja aplicado na ferida.

cachorro-mordeu

 

Como se prevenir da mordida de cães

 

Tendo em vista que boa parte dos incidentes que envolvem mordidas de cachorros não ocorrem com adultos, é muito importante que crianças jamais sejam deixadas sozinhas no mesmo ambiente que cães; diminuindo a possibilidade de acidentes. No topo do “grupo de risco” das mordidas, as crianças também devem ser ensinadas por seus pais a não mexer, abordar ou provocar animais de estimação desconhecidos (principalmente, os de rua), pedindo permissão ao dono do pet sempre que quiser acariciar o animal.

Animais estranhos, desconhecidos ou de aparência doente devem ser evitados sempre e, quem tem um pet em casa, também deve evitar que o bichinho de estimação tenha contato com animais que tenham tais características. Vacinar os seus pets de maneira adequada também é essencial para prevenir a sua contaminação por qualquer tipo de zoonose, impedindo que seu amigão se torne uma fonte de infecção.

Outra dica importante para ficar longe de acidentes é a de não interferir ao presenciar cães brigando ou um cachorro se alimentando; já que estas ações, quando interrompidas, podem ser o convite perfeito para mordidas e ferimentos.

Estar alerta ao comportamento dos cães também é importante para ficar longe de acidentes; mas também é importante lembrar que, ao se sentir ameaçado por um cachorro, você não deve correr ou tentar fugir do animal, já que ele pode interpretar isso como uma ameaça ainda maior, atacando-o de maneira mais agressiva. A castração dos cachorros também pode contar como um ponto positivo na prevenção de mordidas, já que (na maioria dos casos) os animais se tornam bem menos agressivos quando passam por este processo.

Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/mordida-cachorro/

Sugira novo tema para um artigo
Categorias:
Saúde do Cachorro
Tags:
cachorros, cães, cuidados, mordidas, pets, saúde

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados