Microchip para Cães e Gatos - Vantagens vs. Desvantagens | CachorroGato

Microchip para Cães e Gatos - Vantagens vs. Desvantagens

Aprenda tudo sobre a tecnologia do microchip para cães e gatos

A coleira como método de identificação não é infalível. Um cão ou gato que se perde de casa, pode acabar perdendo a coleira no caminho, por diversas razões. Como a coleira com a etiqueta de identificação pode falhar, foi tentado solucionar esse problema com tatuagens. Porém além de doloroso, se o cão ou o gato estiver em uma situação dessas, longe de casa, e um estranho se aproximar, dificilmente vai deixar que este estranho lhe toque, em busca da tatuagem. Aí surgiu o microchip para cães e gatos.

O microchip para cães e gatos é uma forma popular e moderna de identificar o animal de estimação de um modo eficaz e seguro. O microchip é um micro-circuito eletrônico, de tamanho aproximado a um grão de arroz, sendo assim possível implantá-lo sob a pele. O microchip para animais contém um código exclusivo e inalterável que transmite informações específicas.

O uso de microchip para cães e gatos já é obrigatório em muitos lugares. Quando o microchip para gatos e cachorros é utilizado:

 

  • É obrigatório implantar o microchip no cachorro ou no gato se o animal estiver viajando para qualquer dos países da Europa e no Japão;
  • Criadores de cães e gatos utilizam o microchip por exigência de Associações, para assegurar a origem da raça e impedir falsificações de pedigree;
  • Por donos para que seja possível a identificação caso o bichinho de estimação se perca.

 

microchip

Leia Mais: A importância da placa de identificação para cães

 

Pontos a serem observados ao optar pela implantação do microchip no animal

 

A princípio não há uma restrição quanto ao cão ou gato que irá receber o microchip para animais, pode ser de qualquer raça, tamanho e peso. A indicação seria que o microchip fosse implantado após, pelo menos, os dois meses de idade do animal, mas ele já pode ser injetado a partir do 10º dia de vida do animal. O que é comum de ocorrer é a implantação do microchip no terceiro mês de vida do cão ou gato, quando é dada a terceira dose da vacina múltipla.

O custo, em média, para o procedimento fica em torno de R$90 a R$100. Os cães e gatos não deveriam apresentar reações após o procedimento, mas pode acontecer do corpo do animal rejeitar o microchip, contudo, isso se deve a uma reação totalmente individualizada. O microchip em cães e gatos deve ser colocado na região da nuca do animal, para facilitar a leitura.

A implantação é realizada com uma seringa especial, parecida com aquela utilizada para aplicar vacinas. Não é feito nenhum tipo de anestesia para injetar o microchip, é como se fosse uma injeção comum.

O microchip para cães e gatos não possui nenhum tipo de bateria e fica inerte o tempo todo enquanto não for ativado. Ele só emite energia ao ser lido pela leitora, para a qual mostrará os dados que ele contém. Como o microchip fica dentro de uma cápsula de biovidro cirúrgico (mesmo material utilizado em marca-passos), a durabilidade deste dispositivo será o tempo que a cápsula leva para se decompor, que é de aproximadamente 100 anos.

 

Leitura de código e rastreamento

microchip-para-animais

Existe um leitor próprio para ler o microchip. Ele contém um scanner, que faz a varredura do sinal emitido pelo chip através de uma frequência de rádio baixa, após ler o código, este é mostrado no visor do leitor.

O dono preenche um cadastro, fornecido pela empresa fornecedora do microchip para cães e gatos, onde as informações ficam em um sistema de banco de dados. O leitor capta o número, esse número é verificado pela empresa e é feita a busca no banco de dados, encontrando, assim, informações de quem é o dono, endereço e contato do mesmo.

 

Vantagens

  • O microchip não precisa de nenhum tipo de recarga, só irá ser ativado pelo leitor;
  • É impossível que o cão ou gato perca o microchip;
  • Não para de funcionar por toda a vida do animalzinho;
  • Não é necessário realizar nenhum tipo de manutenção.

 

Desvantagens

  • Não há um banco de dados unificado no Brasil;
  • Apesar do leitor seguir um padrão internacional, para que ela leia todos os microchips, o dono vai precisar se cadastrar nos dois grandes bancos de dados em nosso país, para garantir que o leitor consiga buscar os dados;
  • Nem todas as clínicas veterinárias possuem um leitor de microchip;
  • O microchip não localiza o cão ou o gato, como um sistema de GPS, somente serve de identificação se alguém encontrar o animal e dispor de um meio de usar o leitor no animal.

 



Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/microchip/

Categorias:
Atividades de Cachorro, Moda e Beleza para Cães, Atividades de Gatos, Moda e Beleza para Gatos
Tags:
cachorros, cães, cão, felinos, gatos, microchip, pets, rastreamento

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 10.687), formado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Unesp com Pós Graduação em Oncologia Veterinária pelo Instituto Bioethicus e Pós Graduação em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais pelo Instituto Qualittas. Responsável pelo setor de Oncologia Médica e Cirúrgica do Hospital Veterinário Cães e Gatos 24h. Dr. Toyota é integrante da equipe de Veterinários do portal CachorroGato e também responde por dúvidas na ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados