3 passos para socorrer a intermação em cães e gatos | CachorroGato

3 passos para socorrer a intermação em cães e gatos

Saiba como agir ao reparar a ocorrência da intermação em cães e gatos

A Intermação em cães e gatos (também conhecida como Heatstroke) é o termo utilizado quando o organismo do animal produz uma quantidade acima do normal de calor e/ou a falta de habilidade para que esse calor seja perdido;gerando, assim, um quadro emergencial que necessita de intervenção imediata – tendo em vista que, como consequência desse distúrbio térmico, a temperaturacorpórea do pet pode chegar ou ultrapassar os 43˚C (nos casos mais graves).

Intermação em cães e gatos

Mais frequente em animais expostos a ambientes com temperaturas elevadas, a intermação em cães e gatos também pode ser desencadeada em função de condições que incluem:

Fatores como obesidade e algumas doenças respiratórias – incluindo colapso traqueal, neoplasias e anormalidades anatômicas – também podem interferir na falta de capacidade de perda de calor corporal pelo animal; que, quando identificado com intermação, deve ser tratado da seguinte maneira:

  • Ao sentir o animal muito quente, procure ver o qual é a sua temperatura, que não deve estar nem se manter acima de 40˚C. Na ausência de um termômetro, coloque sua mão nas extremidades; se tiver quente, molhe uma roupa ou toalha com água e coloque sobre a região
  • Cubra o animal com o pano molhado (até que a sua temperatura caia pouco abaixo dos 40˚C) e ofereça água gelada ou gelo para beber, mantendo-o sempre em um local fresco e arejado
  • Vá direto ao hospital veterinário mais próximo para que seja feita uma estabilização adequada da temperatura corporal do animal, além da avaliação da possibilidade de lesões consequentes do ocorrido

No verão, acontece um aumento natural na incidência daintermação, devido a temperatura dos ambientes permanecerem mais elevadase; apesar de ser mais relatada em cães, essa situação pode acometer tanto cachorros quanto gatos. Vale lembrar queas raças braquicefálicas (de fucinho achatado e que, por natureza, já têm mais problemas respiratórios) e de pelo longo contam com uma predisposição maior para esse tipo de cocorrência.

Como socorrer a hipertermia em cães e gatos?

Leia Mais: Picada de animais peçonhentos em cães e gatos

Funcionando como um centro regulatório parao regulamento adequado da maior parte do organismo, a temperatura - quando elevada demais e não controlada a tempo - pode causar disfunções orgânicas como hemorragia intracraniana e pulmonar, edema cerebral, arritmias cardíacas, isquemia e necrose do músculo cardíaco, insuficiência renal aguda ealteração metabólica, entre muitas outras.

Junto com o sinal de temperatura elevada ou falta de capacidade na perda de calor, em muitos casos pode ser notada uma respiração mais ofegante ou com dificuldade por parte do animal; que também pode apresentar sintomas como fezes ou vômito com sangue, gengiva mais avermelhada, alterações de consciência, tremores musculares, convulsão, coma e em casos mais graves, parada cardiorrespiratória.

O tempo e severidade da intermação(ou insolação) sofrida pelo animal está diretamente ligado às suas chances de recuperação após a estabilização do quadro. Por isso, é de extrema importânciaque o animal com tais sinais seja levado, imediatamente, ao médico veterinário – permitindo que seja feita a realização de procedimentos para reduzir a sua temperatura de forma correta e minimizar as consequências deste quadro tão grave e que pode se fatal em muitos casos.



Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/intermacao-caes-gatos/

Categorias:
Saúde do Cachorro, Saúde do Gatos
Tags:
hipertermia em cães, hipertermia em cães e gatos, insolação em cães e gatos, insolação em gatos, intermação em cães e gatos

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médica Veterinária (CRMV-SP 25380) formada pela Fundação Municipal de Ensino Superior de Bragança Paulista (FESB). Especialização em Emergências e Terapia Intensiva pela Universidade Federal do Semi-Árido (UFERSA). Prêmio internacional em concurso de Bem-Estar Animal pela World Society for the Protection of Animals (WSPA). Responsável e membro da equipe de médicos veterinários intensivistas do Intensive Home Care, atuando nas áreas de emergência e terapia intensiva, na região de São Paulo.

Artigos Relacionados