Cachorro Hiperativo – Como identificar o problema?

Você acha que é dono ou conhece alguém que tenha um cachorro hiperativo? Entenda aqui um pouco mais sobre o assunto e veja maneiras de controlar a agitação de seu cão

O problema relacionado ao excesso de energia, que faz com que o cão se torne um cachorro hiperativo é relativamente novo. Isso porque antigamente as raças de cães eram criadas para atuarem junto ao homem em diversos campos, auxiliando na vida cotidiana além de serem belos companheiros. Eles podiam ajudar em fazendas, cuidando do gado e dos rebanhos de ovelhas, caçando roedores em estábulos ou simplesmente sendo excelentes cães de guarda para a família e toda sua propriedade e para esses serviços, quanto mais energia os cães tivessem, melhor, pois podiam aguentar mais tempo de trabalho sem se cansarem.

Com o passar dos anos os trabalhos realizados por muitas dessas raças se tornaram desnecessários, tendo sido substituídos por máquinas ou outras tecnologias e a criação de cães que antes eram voltados ao trabalho agora era voltada para a criação de cães de companhia e a procura por eles aumentava cada vez mais.

Apesar da maioria dessas raças se adaptarem bem à vida dentro de casa, a necessidade de exercícios e de queimar toda a grande quantia de energia que a maioria das raças possuía persistiu, o que acaba tornando o cão atual um cachorro hiperativo, pois essas raças passaram séculos com seus exemplares sendo selecionados e cruzados para gerar cães mais ativos.

 cachorro-hiperativo

 

Leia Mais: Seu cachorro está apresentando fezes com sangue? Cuidado!

Meu cachorro é hiperativo?

Assim como a aparência, que muda de raça para raça, o nível de energia também varia entre um cãozinho e outro e o comportamento que pode ser considerado normal para uma raça já pode ser considerado hiperatividade para outra raça de cães.

Além disso, é importante lembrar que é comum que os cães filhotes tenham um nível de energia mais elevado que um cão adulto e o que pode parecer um cão hiperativo é apenas o comportamento normal e cheio de pique do seu filhote.

cachorro-hiperativo-2

O importante é notar que mesmo dentro de uma raça com um nível de energia mais baixo é possível que existam indivíduos hiperativos, assim como em nós, humanos. E da mesma forma que acontece com a gente, não existe um parâmetro específico que determine se um cão é hiperativo ou não, portanto é sempre aconselhável procurar a opinião de mais de um especialista antes de começar qualquer tipo de atitude específica.

Em uma primeira avaliação, cães hiperativos são aqueles que acabam se tornando difíceis de lidar, pois estão sempre correndo, latindo e no geral não parando por um segundo de fazer bagunça.

Nesses casos é comum que os cães tentem chamar a atenção de seus donos o tempo todo para brincarem, seja correndo, pulando ou até mesmo choramingando e quando são negados acabam destruindo móveis ou que encontrarem pela frente para liberar um pouco dessa energia acumulada.

 

O que pode causar a hiperatividade em um cão?

A hiperatividade canina pode ter várias origens, a mais comum é a genética, pois muitas das raças que conhecemos hoje em dia são criadas há vários séculos e os cães selecionados para dar continuidade ao padrão daquela raça geralmente eram os mais ativos, pois eram melhores cães de trabalho.

Além disso, outra possível causa da hiperatividade em cães é algum tipo de alergia alimentar, o que pode ser tratado com uma mudança de ração recomendada pelo veterinário. Geralmente nesses casos o cão apresenta uma melhora significativa a partir do segundo mês de tratamento com a nova  dieta.

Hipertiroidismo também pode ser uma causa da hiperatividade, por isso que é muito importante que um especialista seja consultado para poder diagnosticar a causa exata dessa hiperatividade e propor um tratamento correto para o problema de seu cão.

 

Como lidar com um cão hiperativo

cachorro-hiperativo-3

Por serem agitados demais, os cães hiperativos tem uma tendência ainda maior para destruir as coisas, é importante que desde cedo o seu pet seja muito bem treinado para obedecer e não atacar o primeiro chinelo que encontrar perdido pela casa, por exemplo.

Todas as raças de cães precisam de exercícios diários, mas nesse caso é imprescindível que leve seu pet para passear e brincar bastante todos os dias, assim ele pode gastar as energias de uma maneira saudável e ainda ser um ótimo companheiro de exercícios.

Também é importante que o seu cão aprenda desde cedo quais são os brinquedos dele e o que podem mastigar, dessa forma sempre que se sentirem agitados demais eles vão procurar os mesmos brinquedos para extravasar esse excesso de energia. Nesses casos o dono não deve brigar ou repreender o cachorro caso ele comece a levar tais brinquedos consigo em momentos que queiram receber carinho ou se sintam ansiosos demais, pois é a forma natural que o cão hiperativo encontrou para se controlar junto aos donos.

No geral, é recomendado que o dono tenha paciência e procure a ajuda de profissionais antes de tomar qualquer atitude drástica com seu cão – como o trancar em cômodos pequenos ou em canis – pois com a técnica correta é possível diminuir bastante o nível de atividade do cão e até mesmo neutralizar o problema da hiperatividade.

Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/hiperativos/

Sugira novo tema para um artigo
Categorias:
Comportamento dos Cães, Saúde do Cachorro
Tags:
cachorro, cachorros, cães, cão, comportamento, hiperatividade, pets

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médica Veterinária (CRMV- SP 20.567) formada pela Universidade Estadual de Londrina - PR com Especialização em Radiodiagnóstico pelo Instituto Veterinário de Imagem (IVI). Responsável pelo setor de diagnóstico por imagem do Hospital Veterinário Cães e Gatos 24h atuando nas áreas de radiologia, ultrassonografia e ressonância magnética. Dra. Madi é integrante da equipe de Veterinários do portal CachorroGato e também responde por dúvidas na ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados