Tipos de fobia de cachorro e formas de tratá-las

A fobia de cachorro é assunto sério e precisa de cuidado e atenção por parte do dono do pet

Assim como nós humanos, os cães também tem certos medos de situações específicas. A fobia é quando esse medo se torna exagerado.  Você já ouviu falar em fobia de cachorro? Pois fobia canina existe e não é tão raro como possa se pensar, muito menos frescura de dono.

A fobia de cachorro pode e deve ser tratada e há algumas variadas fobias e cada cão pode reagir de uma forma diferente à fobia que sente. A grande maioria das fobias surge na fase de crescimento do cão e costumam cessar quando a causa desaparece, mas não é regra geral.

 

Fobia de barulhos


Leia Mais: Tirar carrapato - É possível fazer isso em casa?

Os cães podem apresentar fobia de sons e é, na verdade, bem comum. Quem nunca viu um cão reagir aos barulhos de fogos de artifícios? Ou trovoada? Essa fobia de cachorro é a mais comum. Alguns cães tremem, chegam a babar e correm para se esconder. Isso acontece por conta do instinto de preservação do cão, o barulho alto e desconhecido significa perigo e ele vai tentar fugir desse perigo.

fobia-cachorro

Apesar de haver donos que acreditam que seus cães reagem a esses sons por terem uma audição sensível, na realidade é uma fobia canina. Eles não correm apenas porque o som do trovão machuca sua audição, mas sim porque associam o barulho a uma situação de perigo.

Para evitar que o cão desenvolva essa fobia de cachorro em relação aos barulhos, é recomendado que no período de crescimento, a partir dos dois meses de idade, você exponha o filhote a esses barulhos para acostumá-lo. Não significa colocar o cão ao lado de fogos de artifício estourando, mas sim ficar com ele, distraí-lo com petiscos e brincadeiras, para que o som ao fundo não seja associado a uma experiência traumática.

 

Fobia à pessoas

 

Do mesmo modo que acontece com a fobia aos sons, o cão que não é socializado, ou seja, exposto, neste caso à pessoas, pode desenvolver medo excessivo de pessoas estranhas ou mesmo de pessoas específicas, como o veterinário. Isso ocorre pelo motivo geral da fobia de cachorro: associar a situação com uma situação negativa.

Para evitar isso, permita que o cão desde filhote interaja com as pessoas, enfatizando também o convívio com crianças, pois o cão adulto pode apresentar medo quando é colocado em um ambiente com uma criança se não tiver sido acostumado desde filhote. No caso do veterinário, a maioria dá petiscos para quebrar o gelo e o cão não ter medo.

 

Fobia a animais

 

A fobia em relação a outros animais também é comum. Não é possível fazer com que o cão interaja com diversos animais desde filhote, mas tente o máximo que puder, nem que seja com somente gatos. O cachorro precisa perceber que animais que não são da sua espécie não são exatamente ameaças. Conheça dicas de como socializar cães nesse link

Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/fobia-cachorro/

Sugira novo tema para um artigo
Categorias:
Comportamento dos Cães, Saúde do Cachorro
Tags:
atenção, cachorros, cães, cuidados, fobias, medos, pets

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados