Doença do Carrapato - Conheça os Tipos e Tratamentos

Veja os dois tipos de doença do carrapato e saiba como identificá-las em seu pet

A doença do carrapato, também conhecida como hemoparasitose, é uma das mais temidas pelos donos de cachorros, pois, apesar de possuir tratamento e cura, os seus sintomas causam preocupação e a enfermidade também pode ser fatal para o pet.

Se apresentando de dois modos, a erlichiose (ou erliquiose) e a babesiose, a doença do carrapato é mais comumente transmitida através do rhipicephalus sanguineus, o conhecido carrapato marrom, que se aloja no corpo do cachorro e se alimenta de seu sangue. As duas formas da doença são causadas por agentes diferentes, e também podem acometer o cachorro juntas, agravando ainda mais o estado clínico do animal.

Doença do carrapato

A babesiose age sobre os glóbulos vermelhos, enquanto a erlichiose ataca os glóbulos brancos do sangue, destruindo-os e afetando o organismo do cão infectado. O sintoma mais claro da doença do carrapato é, provavelmente, a depressão. A enfermidade gera fraqueza, anemia, febre, perda de apetite, levando ao cansaço e ao desânimo.

Se um cão que costuma ser ativo e gostar de brincar começar a preferir ficar mais tempo deitado e sem se movimentar, uma visita ao veterinário é recomendada. Contudo, também é possível que a doença passe despercebida em um cão que passe mais tempo sozinho em casa ou que seja menos ativo, por isso é tão recomendado que ele sempre passe por visitas periódicas ao veterinário para exames e um check-up geral.

Leia Mais: Oncologista Veterinário - O especialista do câncer em animais

As doenças do carrapato são diagnosticadas por exame de sangue, que pode dar sinais de alteração desde um hemograma com leucograma simples, porém existem exames mais específicos para o diagnóstico, como a sorologia para hemoparasitose, que normalmente inclui babesia e erlichia.

Tanto a erliquiose quanto a babesiose tem tratamento e podem ser curadas através de medicamentos ministrados pelo veterinário, porém, o mais interessante de se ressaltar é a importância do controle do ambiente, buscando sempre mantê-lo livre dos carrapatos que transmitem a doença. Quanto antes se inicia o tratamento maior a chance de eficácia. Leia mais sobre a babesiose, a doença do carrapato.

Já no inicio do tratamento o animal apresenta uma melhora nos sinais clínicos, mas para uma eliminação total normalmente é necessário um tempo maior, levando semanas a meses para efetivamente livrar o animal da hemoparasitose.

O tratamento deve ser iniciado o mais cedo possível, a doença do carrapato pode levar a uma degeneração da medula, que é a parte do corpo responsável pela produção dos glóbulos vermelhos entre outros, causando uma anemia profunda e podendo levar o pet a óbito.

Como tirar um carrapato do meu cachorro?

Se durante uma inspeção no corpo do seu pet, em busca de carrapatos, você encontrar um, procure não tirá-lo com a mão. Isso pode fazer com que ainda alguma parte do parasita fique no corpo do animal, podendo causar infecções. O ideal é aplicar algumas gotas de vaselina ou de parafina ao redor do carrapato, esfregar com cuidado até amaciar a pele e depois tentar retirá-lo com cuidado.

Após inteiramente retirado, o carrapato deve ser colocado em um recipiente com álcool, para eliminá-lo do ambiente junto com seus ovos. Além disso, existem no mercado pinças desenvolvidas especialmente para a retirada de carrapatos, que podem ser encontradas em lojas especializadas em pets. Não se esqueça de lavar bem as mãos após manipular o seu pet infectado.

Melhor do que remediar é prevenir, se seu animal mesmo depois de tratado continua sempre voltando a ficar infestado de carrapatos, utilize remédios para carrapato com a frequência recomendada na bula, normalmente uma vez ao mês, para que ele fique sempre livre destas doenças do carrapato.

Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/doenca-carrapato/

Sugira novo tema para um artigo
Categorias:
Saúde do Cachorro
Tags:
babesiose, cachorro, cachorros, cães, cão, carrapato, doença, erlichiose, pet, prevenção, tipos, tratamento

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados