Discopatia em Cães - Lesão na coluna vertebral | CachorroGato

Discopatia em Cães - Lesão na coluna vertebral

Tida como uma das causas mais frequentes para a paralisia de cachorros, a discopatia em cães pode ser amenizada de diversas maneiras para manter o bem-estar do seu pet

Afetando seres humanos e animais, os problemas relacionados à coluna espinhal são responsáveis por dores insuportáveis e que podem evoluir até causar uma paralisia. Relativamente comum, a discopatia em cães pode causar complicações que alteram o sistema nervoso do animal, além da diminuição de sensibilidade e dos movimentos, incontinência urinária e, principalmente, muita dor.

Em boa parte das vezes causada por lesões e traumas na medula espinhal, a discopatia em cães apresenta sintomas bastante típicos, e um cachorro acometido pelo problema pode passar a andar de cabeça baixa, com o pescoço rígido, orelhas para trás e caminhar cauteloso (como se estivesse com medo), demonstrando claros sinais de sofrimento e dor.

Sendo a medula espinhal uma estrutura extremamente delicada, ela é protegida naturalmente por vértebras ósseas, tendo entre cada par de vértebras, discos intervertebrais (que podem ser descritos como uma espécie de almofadinha – de contorno fibroso e interior gelatinoso), que evitam o constante atrito entre elas e promovem a estrutura e flexibilidade necessárias para que ocorra o movimento da espinha do cão sem problemas.

discopatia-caes

Quando os discos vertebrais deixam de agir da maneira ideal – por causa do comprometimento de sua estrutura, que pode ocorrer em função do envelhecimento do animal ou de algum trauma – é que surge a discopatia nos cachorros, que também é conhecida popularmente como hérnia de disco; um problema bastante comum e igualmente complicado em seres humanos.

O principal sinal clínico desse quadro, infelizmente, é uma dor muito forte apresentada pelo pet. No entanto, apenas por meio de radiografias, tomografias, ressonância magnética, mielografia e outros exames complementares é possível definir o diagnóstico com precisão – tendo em vista que esta não é a única complicação que pode causar fortes dores nos cachorros. O tratamento pode ser feito de diversas maneiras, que incluem desde medicações e imobilização até cirurgias - sendo definido de acordo com o grau de evolução e a gravidade do problema no animal. 

Leia Mais: Primeiros socorros em caso de reação alérgica em cães e gatos

Embora possa ocorrer em cães de qualquer idade, físico e tamanho, a discopatia canina é mais comum em cães de pernas curtas, coluna alongada e porte pequeno. Alguns cães de características quase opostas a estas também apresentam uma probabilidade maior de desenvolver esse tipo de complicação ao longo da vida, e a lista de raças mais propensas a ter discopatia inclui nomes como: Dachshund, Poodle, Beagle, Lhasa Apso, Cocker Spaniel, Bulldog Francês,Pequinês, Welsh Corgi, Shih Tzu, Dobermann, Basset Hound e Pastor Alemão.

Conheça, neste artigo, algumas das principais causas para discopatia em cães, e aprenda a reconhecer os sinais do problema em seu pet – já que, quanto antes for identificada a complicação e iniciado o tratamento, maiores serão as chances de que seu animal não tenha sua mobilidade prejudicada e evite dores mais intensas.

 

Causas da discopatia em cães

 

Lesões agudas na medula espinhal são as principais causas de discopatia em cães, podendo aparecer em função de traumas ou predisposição genética. Mais comum em cachorros com idade a partir dos cinco anos – devido ao envelhecimento natural dos discos intervertebrais do pet – a complicação causa alterações no sistema neurológico do animal em boa parte das vezes que se manifesta, desencadeando o aparecimento de problemas de mobilidade.

Nos casos em que o problema tem um trauma forte como causa, ocorre o deslocamento do disco intervertebral de maneira drástica, causando a lesão medular e, consequentemente, muita dor no animal.

Dentro do conjunto de fatores genéticos que indicam uma predisposição maior para a ocorrência da discopatia em cães estão o porte pequeno, as pernas curtas e a coluna alongada, sendo que os cachorros das raças Lhasa Apso, Pequinês e Dachshund são os mais propensos a desenvolver problemas de disco. Entre os animais de grande porte, os da raça Dobermann são os que tem maior probabilidade de apresentar o problema.

Conforme sua evolução, a discopatia canina causa a diminuição e a perda da sensibilidade do cão, dificultando seus movimentos e podendo levá-lo a uma paralisia completa – já que o deslocamento (ou a deterioração) dos discos localizados entre as vértebras ósseas do animal, faz com que eles deixem de absorver os impactos de sua movimentação, causando atrito e dores intensas na região quando o cão se mexe.

discopatia-cachorros

 

Sintomas e diagnóstico da discopatia em cachorros

 

A dor é, sem dúvidas, o principal sinal apresentados pelos cães acometidos pela discopatia. Dificuldade para se movimentar, incontinência urinária e fecal, redução da consciência de postura e sensibilidade, relutância para andar e rigidez no pescoço também entram na lista de sintomas dos cachorros com o problema que, em 10% dos casos, leva o animal a ficar tetraplégico.

Os sinais da discopatia canina podem chegar em minutos ou se manifestar de maneira mais gradual no pet, levando dias ou até semanas para se instalarem por completo. Assim como o aparecimento dos primeiros sintomas, a progressão do problema também pode ocorrer com uma grande rapidez e, por isso, é muito importante que o pet seja encaminhando a um profissional veterinário assim que seu dono notar a possibilidade da complicação - para que o tratamento seja facilitado e tenha mais chances de sucesso.

O diagnóstico da complicação só pode ser confirmado por meio da combinação de exames clínicos e de imagem; sendo que, em alguns casos, exames de contraste também podem ser requisitados para que o problema seja definitivo.

Radiografias da coluna do animal, coleta de amostras do líquido da medula espinhal e a mielografia – que consiste em uma radiografia com o uso de um contraste aplicado no canal medular do pet – estão entre os exames mais realizados para que a discopatia no cachorro seja identificada, e tomografias também podem ser usadas como maneira de complementar o diagnóstico, mas hoje com o avanço no diagnóstico por imagem na medicina veterinário ja temos em alguns locais disponível a Ressonância Magnética que indica precisamente a gravidade e o local da lesão do cão.

discopatia-canina

 

Tratamento da discopatia em cães

 

O tratamento indicado para a discopatia em cães varia de acordo com a gravidade do caso e o motivo desencadeador do problema. A indicação em casos mais intensos e complicados (que envolvem paralisias e a compressão medular) geralmente é cirúrgica, no entanto, tratamentos clínicos e mais conservadores também podem ser recomendados em casos mais leves do problema.

Tendo como objetivo principal a diminuição da lesão medular por meio do uso de medicamentos, os tratamentos mais tradicionais e livres de cirurgias para a discopatia canina incluem o uso de corticóides, repouso e a imobilização do animal. Na maioria das vezes, esse tipo de processo é iniciado imediatamente após o aparecimento dos primeiros sinais do problema e, por isso, podem facilitar a recuperação do cachorro.

Entretanto, embora haja casos em que um tratamento clínico possa diminuir a lesão medular do animal e permitir que o disco afetado ou rompido, de certa forma, se regenere; casos de novas crises e paralisias nos cães que se tratam com este tipo de técnica podem ser bastante comuns, confirmando a necessidade de uma intervenção cirúrgica para solucionar o quadro.

Conforme crescem os ataques da doença nos cães, cresce, também, a quantidade de lesões permanentes na medula do animal e, nestes casos, somente uma cirurgia para a retirada do material que causa o problema pode se apresentar eficaz para o pet. Embora seja considerado mais agressivo, o tratamento por meio da intervenção cirúrgica permite uma recuperação bastante rápida, além de possibilitar que o cão recobre o máximo das funções de sua medula espinhal.

O tempo e a extensão da recuperação de cada animal é variado, e vai depender tanto das lesões medulares do cão como do tempo que se passou entre o aparecimento do problema e a cirurgia; sendo que, quanto menor ele for, maiores serão as chances de uma reabilitação completa e rápida.

Em casos de lesões mais leves, ou tão severas que não responderiam mais ao tratamento cirúrgico, o uso de tratamentos alternativos (combinados ou não com medicamentos alopáticos) tem apresentado resultados bastante satisfatórios, amenizando a dor dos animais acometidos pela discopatia de maneira considerável.

Sessões frequentes de acupuntura e fisioterapia fazem parte do pacote alternativo indicado na maioria dos casos, sendo que tratamentos adicionais - que incluem o uso de laser e ultrassom terapêuticos, eletroterapia e termoterapia com calor e frio - também entram na lista.

Exercícios que trabalham o fortalecimento e a resistência do animal não ficam de fora dos métodos adotados em tratamentos clínicos; assim como a promoção de estímulos sensoriais com o uso de diferentes ferramentas, escovas, agulhas e da cinesioterapia – técnica que consiste na busca da cura por meio do movimento.



Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/discopatia-caes/

Categorias:
Saúde do Cachorro
Tags:
cachorros, cães, cão, coluna, discopatia, doenças, lesão, pets, saúde

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 10.687), formado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Unesp com Pós Graduação em Oncologia Veterinária pelo Instituto Bioethicus e Pós Graduação em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais pelo Instituto Qualittas. Responsável pelo setor de Oncologia Médica e Cirúrgica do Hospital Veterinário Cães e Gatos 24h. Dr. Toyota é integrante da equipe de Veterinários do portal CachorroGato e também responde por dúvidas na ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados