Como adestrar um cachorro – Tudo sobre adestramento | CachorroGato

Como adestrar um cachorro – Tudo sobre adestramento

Saiba como adestrar um cachorro e conheça as vantagens que esse tipo de medida pode trazer para seu pet

Todo novo dono de pet se depara com a questão de como adestrar um cachorro. E não é para menos, já que, um cão desobediente, além de poder causar muita bagunça, pode ser responsável por uma série de acidentes em função de não ter recebido o treinamento correto. Embora muitos achem que o adestramento é indicado, apenas, para fazer com que os pets possam obedecer comandos e participar de competições e esportes caninos; esse tipo de processo de ensino pode trazer muitas outras vantagens para a vida de quem tem um cão em casa.

Problemas diversos podem ser amenizados por meio do adestramento, e é possível conseguir um controle maior sobre o seu pet em relação a comportamentos frequentes nos cães sem treinamento, que incluem latidos frequentes, bagunça na casa e até a feitura de necessidades fora do lugar correto.  Embora muitos optem pela contratação de um profissional para que esse tipo de processo seja iniciado, tendo algum conhecimento sobre como adestrar um cachorro, já é possível colocar em prática diversos métodos simples para ensinar o seu pet sem maiores complicações.

como-adestrar-cachorro

Repetições, gestos e comandos combinados a acessórios como o clicker e alguns petiscos já podem ajudar muito no processo de adestramento, sendo que a rapidez e a eficiência dos resultados desse treinamento vão depender tanto do empenho do dono do pet como do nível de inteligência do próprio animal – tendo em vista que determinadas raças tem uma capacidade muito maior que outras em relação ao entendimento e a compreenção de comandos.

Podendo ajudar a mudar uma série de questões comportamentais incômodas do seu pet, o adestramento pode controlar desde a agressividade e o hábito de pular nas pessoas até os latidos constantes e os níveis de socialização do cachorro com pessoas e, até mesmo, outros animais. Confira, a seguir, algumas dicas valiosas para ensinar alguns comandos básicos e bastante úteis ao seu cachorro, e conheça um pouco mais sobre os diversos benefícios que o adestramento de cães pode trazer para você e seu bichinho de estimação.

 

Leia Mais: Coleiras personalizadas para cães: dicas para identificar o seu animal

Analisando o comportamento inadequado do pet

O primeiro fator que deve ser observado para que se inicie um processo de adestramento é, justamente, o tipo de comportamento inadequado do pet que se deseja excluir; traçando um histórico que diga quando e como ocorrem as reações indesejadas por parte do animal.

Latidos frequentes, pulos em pessoas desconhecidas, bagunças na casa, mordidas em móveis, objetos e pessoas, urina e outras necessidades em locais inapropriados, marcação de território, resistência e agressividade durante passeios, agitação excessiva em situações que não representam perigo e violência com pessoas e outros animais são alguns dos comportamentos mais comuns em cães não treinados – e que podem ser bastante amenizados e melhorados por meio da prática de técnicas de adestramento.

Durante essa primeira observação é necessário perceber, também, se os hábitos e atitudes erradas do cachorro têm algo a ver com algum tipo de mudança brusca na vida do pet – já que isso pode desencadear uma série de problemas no animal que não são, necessariamente, um indicador da necessidade de adestramento mas, sim, uma reação que pode ser pontual. Nestes casos, a análise do problema junto a um profissional veterinário pode ser uma boa pedida para definir que tipo de medida tomar.

adestrando-cao-bagunceiro

 

Premissas do adestramento

Embora muitos donos com problemas de obediência de seus pets optem pela contratação de profissionais adestradores para solucionar a questão, há uma série de comandos e métodos bastante simples de se colocar em prática, que podem ajudar muito a controlar o seu cãozinho e podem ser feitos tranquilamente dentro do próprio lar.

Vale a pena lembrar que, mesmo os profissionais do adestramento afirmam que, na maioria dos casos, o treinamento do dono do pet acaba sendo mais importante do que o treinamento do próprio animal – já que o proprietário será o grande responsável por comandar o pet – e, portanto, ficar de olho nas técnicas de ensino é sempre válido para quem tem um bichinho de estimação como parte da família.

Outro fator de grande importância no processo de adestramento é o fato de que quem ensina um animal jamais deve fazer o uso da violência como uma forma de repreensão. Além de ser prejudicial para o pet, as agressões podem aumentar ainda mais a agressividade dos animais, tornando-os violentos não só com desconhecidos mas, também, com seu próprios donos.

Esse tipo de atitude física pode, ainda, traumatizar o cão agredido e fazer com que ele passe a temer qualquer tipo de adestramento; já que suas experiências anteriores remetem a violência. Isolar o cão como punição também é algo não recomendado pelos profissionais, e isso pode, inclusive, aumentar a ansiedade e o medo da separação do cachorro – causando ainda mais problemas no lugar de resolver os que já existiam.

 

Clicker: o rei do adestramento

Entre os instrumentos mais utilizados como ajuda para o adestramento está o clicker, considerado uma das ferramentas mais importantes e eficientes para o processo de aprendizado de cães. Frequentemente usado para treinamentos que envolvem comandos precisos - como os realizados com cachorros que participam de esportes caninos como o Agility e o Canine Freestyle – o clicker também pode ajudar muito a ensinar comandos básicos de adestramento para os pets.

Embora boa parte dos métodos de ensino para cães não exija esse tipo de ajuda, o uso do clicker pode acelerar bastante o processo de adestramento; servindo como um substituto para a voz do treinador e tendo a capacidade de indicar (de maneira exata e precisa) o tipo de comportamento correto para o animal como sua principal vantagem.

Para ensinar diferentes comandos e truques a um cão, esse instrumento pode ser bastante útil se utilizado da maneira certa. Frequentemente combinado a petiscos e quitutes caninos, o uso da ferramenta permite que os cachorros associem o barulho produzido por ela a recompensas e carinhos; facilitanto o processo de aprendizado e incentivando sensações de prazer do animal no processo de adestramento.

Em um treinamento, o dono do animal (que tem o clicker em seu poder) deve dar o comando ao pet e, assim que tal instrução for obedecida, ativar o instrumento – mostrando ao cão que a sua obediência recebe um som específico como sinal. Portanto, no caso de querer ensinar seu animal a sentar, por exemplo, o barulho do instrumento deve ser ativado no exato momento em que o cão estiver se sentando, e não depois que ele já tiver obedecido ao comando, pois isso pode confundir o animal.

Com isso em mente, fica claro que o mais importante em um treinamento feito com o uso do clicker é ficar atento às reações do animal, já que o som emitido por ele deve ser ativado no momento exato em que o pet obedecer um comando específico – caso contrário, ele pode entender que o comportamento correto é, justamente, o que se tenta exterminar.

adestramento-cachorros-caes

 

Adestramento inteligente

Atualmente, o adestramento chamado de inteligente é um dos mais divulgados e utilizados, promovendo a compreensão do animal por meio de métodos que excluem completamente qualquer tipo de agressão ou violência. Tendo os reforços positivos como sua principal base, esse tipo de adestramento consiste em recompensar os animais por seus bons comportamentos, incentivando-os a deixar de lado os hábitos incômodos.

Podendo ser aplicado em animais com mais de 50 dias de vida, o adestramento inteligente não tem limite de idade, e pode ser feito, inclusive com cães idosos – embora, nesses casos, o processo possa ter uma tendência a ser um pouco mais longo.

O uso do clicker – ou de outros tipos de aparelho que emitam algum tipo de som, como apitos e buzinas – também é bastante popular nesses processos, assim como o uso de petiscos e quitutes preferidos pelo animal. É importante lembrar que nem todo tipo de instrumento que produz som é indicado para o adestramento, e o volume da ferramenta em questão deve ser bem analisado antes de iniciar o processo – já que barulhos muito altos podem, além de assustar o pet, ser prejudiciais para sua saúde auditiva.

Certificando-se de ter os instrumentos adequados, basta seguir a metodologia de recompensas para ensinar o seu cão. Ao querer fazer o cão sentar, por exemplo, é preciso chamar a atenção do animal e dar-lhe o comando. Você pode ajudar o cachorro a realizar o movimento uma vez – com as mãos, abaixando a traseira do animal, enquanto repete o que ele deve fazer.

Quando a ação esperada for realizada por meio do simples comando, o clicker (ou a ferramenta que estiver sendo usada no processo) deve ser ativado, mostrando ao cão que o ato de sentar foi feito de maneira correta. Em seguida, um petisco – ou algum outro tipo de recompensa, como carinhos em abundância – deve ser dado ao animal, recompensando-o pela sua obediência.

A partir do primeiro comando ensinado, o adestramento inteligente tende a ficar cada vez mais fácil e prazeroso para os cães – podendo ser repetido para ensiná-lo diferentes truques e ações por meio da mesma técnica.



Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/como-adestrar-cachorro/

Categorias:
Comportamento dos Cães, Moda e Beleza para Cães
Tags:
acessórios, adestramento, adestrar, cachorros, cães, comportamento, pets, técnicas

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados