Babesia Canis – Conheça o agente da doença do carrapato

O babesia canis causa uma das enfermidades mais traiçoeiras aos pets

O babesia canis é um protozoário responsável pela babesiose, ou doença do carrapato, uma das doenças mais preocupantes para a saúde dos cães, além dos bovinos e dos equinos. Não à toa, uma vez que, se não tratada, a enfermidade pode ser fatal para cãozinho ou outro animal que contraí-la.

O protozoário babesia é transmitido para o cão através do carrapato rhipicephalus sanguineus, o famoso carrapato marrom, que se aloja entre os pelos do cachorro e se alimenta de seu sangue, do mesmo jeito que as pulgas fazem.

Babesia Canis

Além do carrapato marrom, que é o responsável por difundir a babesia no Brasil, o protozoário pode ser passado ao animal por mais outros três tipos de transmissores: o babesia canis canis (transmitido na Europa pelo carrapato dermacentor reticulatus) o babesia canis vogeli (transmitido no norte da América e nordeste da África pelo carrapato rhipicephalus sanguineus) e o babesia canis Rossi (transmitido no sul da África pelo carrapato haemaphysalis leachi).

Entendendo a transmissão da babesia

Leia Mais: Fisioterapia veterinária promove a reabilitação de pets

O carrapato é um artrópode bastante sensível à luz, portanto está sempre buscando locais onde ele possa se esconder da claridade, vendo os pelos do cão como um lugar ideal para isso. O protozoário é transmitido através da picada e da saliva do carrapato que estiver infectado e alojado no animal que, para receber a babesia do carrapato, precisa tê-lo alojado em si por pelo menos quatro horas.

Para a doença se iniciar, não necessariamente o animal teve contato recente com carrapatos, ele também pode já ter se contaminado há certo tempo, pois a babesia apresenta um período de latência de meses, ou seja, ela fica presente no sangue sem causar a doença e quando o animal tem uma baixa de imunidade ela se apresenta.

Ao adentrar a corrente sanguínea, o protozoário parasita os glóbulos vermelhos do cão, multiplicando-se e, devido à falta de espaço dentro do glóbulo, ele se rompe, fazendo com que os protozoários se espalhem ainda mais pelo organismo do animal em busca de um novo glóbulo para parasitar.

Devido à considerável destruição dos glóbulos vermelhos, o cachorro com babesia apresenta anemia, febre, perda de apetite, depressão, palidez nas mucosas e possíveis problemas na coagulação do sangue. Este é o ponto onde a doença é mais traiçoeira, pois o animal, normalmente, só começa a apresentar sinais como febre e perda de apetite quando a doença já está bem avançada, já com uma anemia importante.

Uma vez que a higiene e limpeza dos cães são responsabilidade dos donos, cabe a eles sempre checar se o banho, a tosa e a escovação foram bem feitos, a fim de eliminar qualquer carrapato que estivesse por ali. Além disso, a atenção aos sintomas pode garantir o tratamento da babesiose logo em seu início.

Existem no mercado diversos remédios para carrapato e, como os antipulgas, nas mais diversas apresentações. Além disso, existem as opções para acabar com carrapatos no ambiente onde o pet vive.

Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/babesia-canis/

Sugira novo tema para um artigo
Categorias:
Saúde do Cachorro
Tags:
agente, babesia, cachorro, cachorros, cães, canis, cão, carrapato, doença, pet, temida, tratamento

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médica Veterinária (CRMV- SP 20.567) formada pela Universidade Estadual de Londrina - PR com Especialização em Radiodiagnóstico pelo Instituto Veterinário de Imagem (IVI). Responsável pelo setor de diagnóstico por imagem do Hospital Veterinário Cães e Gatos 24h atuando nas áreas de radiologia, ultrassonografia e ressonância magnética. Dra. Madi é integrante da equipe de Veterinários do portal CachorroGato e também responde por dúvidas na ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados