4 principais causas de amputação de cabeça de fêmur em cães e gatos | CachorroGato

4 principais causas de amputação de cabeça de fêmur em cães e gatos

Entenda a amputação de cabeça de fêmur em cães e gatos - também conhecida como cefalectomia - e aprenda as principais causas que levam a esta cirurgia ortopédica

O ramo da ortopedia veterinária lida diariamente com uma série de problemas que podem influenciar e acabar com a mobilidade de um animal, e cabe ao profissional avaliar as melhores formas de tratar a complicação para que o pet possa ter uma chance de recuperar totalmente os seus movimentos. Nos dias de hoje, a amputação de cabeça de fêmur é uma cirurgia ortopédica realizada com relativa frequência no mundo da veterinária, já que diferentes tipos de complicação podem acabar tendo na colocefalectomia suas principais chances de solução.

Também chamada de cefalectomia, excisão artoplástica de cabeça e colo femoral ou colocefalectomia, a cirurgia de amputação de cabeça de fêmur em cães e gatos é realizada, principalmente, em função de quatro problemas distintos- e que podem afetar tanto os animais pequenos como os de grande porte em qualquer fase da vida; havendo, portanto, poucas medidas a se adotar para garantir que um pet canino ou felino fique afastado da necessidade desse tipo de cirurgia ortopédica veterinária ao longo da sua vida.

Amputação da cabeça de fêmur em cães e gatos

No entanto, assim como no caso da grande maioria dos problemas (de qualquer tipo) que afetam a vida de um animal, quanto antes for feito um diagnóstico concreto e iniciado um tratamento, maiores serão as chances de que o bicho se recupere por completo e; portanto, vale à pena ressaltar, mais uma vez, que os tutores de bichinhos de estimação devem estar sempre atentos para qualquer tipo de comportamento anormal que o seu pet possa apresentar – levando-o imediatamente para uma consulta com um profissional veterinário ao perceber alterações no animal.

Dito isso, confira neste artigo as quatro principais causas que levam um cão ou gato a precisar de uma cirurgia ortopédica para a amputação de cabeça de fêmur, e conheça alguns dos indicativos desse tipo de problema.

As quatro principais motivações para a colocefalectomia

Leia Mais: Luxação de patela em cães e gatos - Graus I, II, III e IV

Conforme citado na introdução, a cirurgia que consiste na amputação da cabeça do fêmur em cães e gatos também é conhecida por outros nomes (colocefalectomia, cefalectomia e excisão artoplástica de cabeça e colo femoral), e consiste na retirada da cabeça e do colo do fêmur do animal para minimizar os danos provocados por problemas distintos; que podem causar desde a atrofia muscular e a artrose até a necrose na região, prejudicando muito a capacidade de mobilidade do animal e, consequentemente, a sua vida de uma forma geral.

Problemas que causam a necessidade da amputação de cabeça de fêmur em animais

As causas mais comuns que levam um cão ou gato a precisar desse procedimento são:

  • Fraturas

    A ocorrência de traumas em função de batidas, por exemplo, e de quedas estão entre as mais comuns formas de fratura que podem levar um animal a precisar desse tipo de cirurgia ortopédica. Embora a cabeça do fêmur do animal, quando vítima de um trauma, possa ser reconstruída por meio de cirurgias (que fazem o uso de parafusos, placas e pinos como ferramentas) – esta é considerada uma região de cicatrização bastante difícil e; por causa disso, não são muitos os caso em que esse tipo de procedimento é adotado, levando em conta que o processo de recuperação do animal pode ser mais longo e complicado.

    Nessas condições o mais comum é que o profissional veterinário opte pela cirurgia de amputação de cabeça e colo femoral do animal – favorecendo a formação de uma espécie de falsa articulação na região e que, auxiliada pela musculatura adjacente e a cápsula articular, permita que o animal consiga apoiar o seu membro novamente sem que sinta dor em função da fratura que prejudicou a região.
  • Luxações

    As luxações, que geralmente ocorrem em função de algum tipo de trauma ou displasia muito severa, também são fortes candidatas a ter a excisão artoplástica da cabeça e colo femoral como indicação de tratamento. Nesse tipo de caso, a região da cabeça femoral é prejudicada em função de acidentes comuns, como escorregões, arrancadas mais bruscas por parte do animal ou mesmo de um giro forte enquanto o bicho está com sua pata presa, por exemplo. A luxação, portanto, causa o rompimento do ligamento redondo – fazendo com que a cabeça do fêmur se solte ou se desloque da cavidade do acetábulo (local onde deveria estar devidamente presa para permitir que o animal se movimente com naturalidade e sem dor).

Amputação de cabeça de fêmur em animais

  • Displasia Coxofemoral

    Embora o tratamento da displasia coxofemoral não tenha a colocefalectomia como principal forma de tratamento, esse procedimento pode ser indicado para cães com o problema em alguns casos mais específicos; e em que haja a má coaptação da cabeça fêmur no acetábulo muito acentuada causando luxação – ou seja, quando a conexão entre tais partes não ocorre mais da maneira que deveria. Geralmente, são somente os casos de displasia coxofemoral em estágio muito avançado que provocam esse problema em um nível que pode ser amenizado por meio da amputação da cabeça e do colo do fêmur do animal – sendo que o quadro da displasia pode surgir nos cães tanto de forma congênita como adquirida.

    Nos casos congênitos, o animal já nasce com a complicação; que se desenvolve ao longo da vida e costuma afetar, na maioria dos casos, cães de porte grande ou gigante. Enquanto nos episódios do caso adquiridos, o desenvolvimento do problema se dá em função do ambiente ou do comportamento do animal - sendo que a permanência prolongada do pet em locais de superfícies muito lisas (que propiciem grandes esforços e movimentações erradas) e os casos de luxação de patela (que também podem surgir em função de acidentes em chãos lisos demais ou de forma congênita) costumam ser fatores que aumentam bastante as chances do surgimento do problema; mesmo em cães de portes menores.

  • Necrose Asséptica da Cabeça do Fêmur

    Tendo a cefalectomia como principal e mais eficiente forma de tratamento, a necrose asséptica da cabeça do fêmur é uma complicação que afeta, geralmente, os cachorros de porte pequeno. Desenvolvido em função de problemas de irrigação na região da cabeça do fêmur, a necrose dessa área – ao contrário da grande maioria dos episódios em animais – não ocorre por causa de uma infecção, mas sim por causa de uma isquemia (falta de sangue). Podendo evoluir ter problemas fortes de artrose e subluxações como ponto de partida para o seu surgimento, a necrose asséptica da cabeça do fêmur, quando atinge um dos membros do animal, também pode acabar surgindo no mesmo membro do lado oposto – já que, em função da falta de capacidade em usar o membro comprometido, o pet pode acabar forçando o outro e causando o mesmo problema.

Colocefalectomia em cães e gatos

Diagnósticos e pós-operatório da colocefalectomia

Por serem variados os motivos que podem ocasionar a exigência de uma cirurgia ortopédica de amputação de cabeça de fêmur em cães e gatos, os diagnósticos que levam à este tipo de tratamento são, também, diferentes; podendo incluir exames que vão desde a analise clínica e a palpação de um profissional veterinário  até exames de imagem como radiografias e tomografias.

No entanto, independentemente das formas de diagnostico, é importante lembrar que os casos de problemas que exigem a realização da excisão artroplástica de cabeça e colo femoral (seja em função de uma fratura, luxação, displasia coxofemoral ou necrose asséptica da região) podem não ser considerados emergências, mas são urgências e devem ser tratadas da forma mais rápida possível.

Os sintomas das luxações e fraturas são bem evidentes e, na grande maioria das vezes, já fazem o animal chorar e mostrar muita dor e dificuldade em apoiar o membro afetado logo que o problema acontece; e, embora os sinais mais claros da displasia coxofemoral e da necrose asséptica da cabeça do fêmur possam demorar um pouco mais para se manifestar, ambos também causam grande dor e a incapacidade do animal em apoiar o membro.

Cefalectomia em cães e gatos

Portanto, ao identificar dificuldades de mobilidade e dor no seu bichinho de estimação, não deixe de levá-lo imediatamente para uma consulta com um profissional veterinário – já que, conforme citado no início do artigo, esse tipo de providência pode contribuir muito pra que o animal tenha uma recuperação rápida e eficiente.

Embora seja difícil que um animal que acaba de passar por uma colocefalectomia possa se recuperar sem a ajuda de sessões de fisioterapia veterinária, há casos raros em que isso pode acontecer – e em todos eles o atendimento ao animal é feito imediatamente após o episódio que causou o problema que deve ser corrigido com a cirurgia ortopédica. Por outro lado, os casos em que a complicação não é tratada logo de início podem promover o desenvolvimento de ainda mais problemas na vida e nas áreas afetadas do corpo do animal, incluindo a atrofia dos seus membros e uma recuperação mais longa e complicada.



Link deste artigo: http://www.cachorrogato.com.br/cachorros/amputacao-cabeca-femur-caes-gatos/

Categorias:
Saúde do Cachorro
Tags:
amputação de cabeça de fêmur em cães e gatos, cabeça de fêmur de cães e gatos, cefalectomia, colocefalectomia, Necrose Asséptica da Cabeça do Fêmur

ATENÇÃO: Esse conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta a um médico veterinário ou serviço especializado. Encontre um fornecedor próximo a sua casa.

Sobre o autor

Médico Veterinário (CRMV- SP 23.348), formado pela Universidade Paulista, Cirurgião Geral e Ortopedista no Hospital Veterinário Cães e Gatos 24 horas há 6 anos. Dr. Tubaldini é o Diretor de Conteúdo do portal CachorroGato e gestor da equipe de veterinários responsáveis pela ferramenta Dr. Responde.

Artigos Relacionados